Abandonada pelo poder público, a Lagoa do Bebedouro agoniza

A morte da Lagoa do Bebedouro e do Rio São José escancara a falência do poder público durante anos em nosso município.

A Lagoa do Bebedouro, quase no centro de Parnaíba, bem que poderia ser um local de visitação, um cartão postal a ser mostrado aos turistas. Mas o que vemos é uma lagoa agonizando por falta de gestão do poder público
Aos poucos o Parque Municpal Lagoa do Bebedouro, localizada entre os bairros Santa Luzia e São Vicente de Paula, na estrada Rosápolis, aos poucos vai sendo destruída pela poluição e pela ausência do poder público. A lagoa bem como o Rio São José, onde a lagoa joga suas águas quando transborda no inverno estão agonizando sem que o poder público interfira através de medidas preventivas para preservação desses dois mananciais.
Para uma cidade em que a atividade turística aflora como opção para o crescimento econômico, a Lagoa do Bebedouro seria mais uma opção de receita para nossos conterrâneos, vez que poderia ser explorada economicamente com bares e restaurantes  acrescidas de áreas de lazer e prática de esportes em seu entorno, a exemplo da Lagoa da Jansem, no São Francisco, bairro central de São Luis (MA).

O Rio São José que circula a Ilha do Tabuleiro está quase morto, apresentando água somente em alguns pontos. O seu principal abastecedouro, depois que fecharam a boca dele no Igaraçu, é a Lagoa do Bebedouro, mas esta também está secando, vez que suas nascentes estão sendo ocupadas por residências.
A lagoa apresenta sinais claros de contaminação, pelo menos é o que parece à simples vista, é grande a carga de dejetos e lixo que é jogada ali pela população. A lagoa apresenta pontos cobertos por aguapés, que são renovadores naturais de oxigênio da água. Com isto a água não se presta para banhar, lavar roupa ou para consumo humano por conter poluentes nocivos à comunidade. A população tem que se conscientizar e parar de poluir esta fonte de vida.

Tanto a lagoa como o rio, mereciam mais atenção e cuidados e um grande projeto para recuperação desses dois pontos que poderiam se transformar em pontos turísticos.
O Parque Municipal Lagoa do Bebedouro é um atrativo natural de rara beleza, mas que através das praticas excessivas de atividade predatória da pesca, assim como pela visível deposição de resíduos residenciais e comerciais, inclusive químicos de alguns criadores de gado que realizam o processo inicial de lavagem do couro do gado, promovem a banalização do parque poluindo-o, desprezando assim a importância também econômica da Lagoa.
Enquanto atrativo turístico não se encontra em roteiros de visitação promovido pelas agências locais; como área de lazer e entretenimento carece de estrutura adequada para tal; a piscicultura, explorada de forma técnica e economicamente recomendadas, também é desprezada. O uso da água para irrigação também não é feita a contento. Em resumo: Desprezamos um grande celeiro de alimentos e um excelente parque ambiental e de lazer.
  Wilson Junior

Deixe uma resposta