Enfermeiros fazem panelaço e cobram reivindicações no Palácio de Karnak

Categoria denuncia más condições de trabalho em várias cidades do Piauí. Sindicato diz que governo não chamou os profissionais para negociarenfermeiros protesto

Dezenas de enfermeiros fizeram um protesto na manhã desta segunda-feira (15) ao lado do Palácio do Karnak. A categoria está em greve há 12 dias no Piauí e cobra o atendimento das reivindicações por parte do governo do estado. O protesto reuniu profissionais de várias cidades do interior do Piauí.

De acordo com Eduardo Maia, representante do sindicato da categoria, o governo não tem sentado para negociar com os enfermeiros e por isso o movimento grevista deve continuar. Ele disse que ao longo dos 12 dias de paralisação não houve nenhum avanço nas negociações. Os profissionais cobram, além de reajuste salarial, a implantação do Plano de Cargos, Carreira e Salários (PCCS) e do adicional de insalubridade.

“Nosso objetivo aqui é sermos recebidos pelo governo para avançarmos nas negociações e termos as reivindicações atendidas. O governo insiste em não sentar para conversar e 70% da categoria está parada em cidades como Teresina, Picos, Floriano, Bom Jesus e Parnaíba”, falou.

O sindicalista demonstrou preocupação com o momento enfrentado pelo sistema de saúde com a proliferação de viroses e epidemias. Segundo ele, o governo não chamar a categoria para negociar no período em que mais se precisa dos enfermeiros atuando é um ato de irresponsabilidade.

“Nós estamos vivendo um caos com essas epidemias e o governo está deixando a população à mercê. É uma falta de responsabilidade, pois estamos num momento de crise e não chamam a categoria para negociar. Isso é uma irresponsabilidade”, afirmou Eduardo.

Categoria levou panelas para protestar contra o governo (Foto: Gustavo Almeida/G1)

A greve dos enfermeiros foi declarada abusiva pela Justiça na semana passada, mesmo assim a categoria sustenta que não irá acabar com o movimento. O sindicato diz que ainda não foi notificado da decisão que declarou o movimento grevista como ilegal.

“Se a greve foi declarada abusiva, isso não quer dizer que ela tem que acabar. Ele [juiz] pode aplicar multa e se passar alguns dias e não for cumprido, pode tomar uma nova medida. Mas nós vamos recorrer e a greve continua. Não vamos parar enquanto não houver negociação”, afirmou Francisco Alex, diretor jurídico do sindicato.

Fonte: JL/G1PI

Ex-prefeito Kim do Caranguejo vai depor em ação penal

O juiz federal José Gutemberg de Barros Filho, da Vara de Parnaíba, designou para o dia 03 de março, às 16 horas, o depoimento do ex-prefeito de Luís Correia, Francisco Araújo Galeno, o “Kim do Caranguejo”, na ação penal em que é réu acusado pelo Ministério Público Federal de crime de responsabilidade elencado pelo Decreto Lei 201/67.kim-do-caranguejo-

O ex-prefeito responde a nove ações na Justiça Federal, sete por improbidade administrativa e duas penais.
Fonte:  Bernardo Silva

Valor da migração de AM para FM custará de R$ 30 mil a R$ 4,5 milhões

radio amPara o representante do ministério, a expectativa dos donos de emissoras tem se mostrado ainda maior do que a do próprio governo, ainda que os custos sejam significativos. Além da taxa, esses empresários terão que readequar todo os equipamentos hoje usados para a frequência AM

Mais de 940 emissoras de rádio AM (modulação em amplitude) serão notificadas nos próximos meses para pagar a taxa de migração para a frequência modulada (FM) e melhorar a qualidade de transmissão de seus conteúdos. Durante debate realizado hoje (15) no Conselho de Comunicação Social do Congresso Nacional, o secretário de Serviços de Comunicação Eletrônica do Ministério das Comunicações, Roberto Pinto Martins, explicou que essas emissoras precisam agora entregar a documentação para o processo de outorga das novas frequências, pagar a taxa de migração e fazer os investimentos para modernizar a infraestrutura de transmissão.

Custos
Martins lembrou que a tabela de preços foi divulgada para que as emissoras se preparem para a nova fase. Os valores podem variar de R$ 30 mil a R$ 4,5 milhões dependendo de variáveis como o alcance das transmissões, por exemplo. “Foi uma metodologia que avalia a potência da emissora, a população de cada município, dados econômicos e sociais. Esta metodologia reflete os parâmetros que estamos usando, não me parece dizer que é um preço baixo, mas um preço justo”, avaliou.

Para o representante do ministério, a expectativa dos donos de emissoras tem se mostrado ainda maior do que a do próprio governo, ainda que os custos sejam significativos. Além da taxa, esses empresários terão que readequar todo os equipamentos hoje usados para a frequência AM. “O objetivo é dar uma sobrevida às emissoras de AM e dar maior diversidade para os ouvintes que passam a ter um contingente maior de emissoras FM”, disse.

Mais qualidade
Presidente executivo da Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão (Abert), Luis Roberto Antonik calcula, por exemplo, que uma emissora pequena de 10Kw de Fortaleza, por exemplo, poderá pagar R$ 400 mil de taxa, mais cerca de R$ 150 mil em equipamentos. “O valor não é desprezível, mas vale a pena. A diferença da qualidade entre AM e FM é muito grande. O rádio é o sujeito do serviço local”, destacou.

Antonik ainda lembrou que, além dos investimentos financeiros, as emissoras devem aproveitar a migração para atualizar também a programação.

Ele disse que as fases mais complicadas do processo já foram concluídas tanto pelo Ministério das Comunicações, com a tabela de preços, quanto pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) que ficou responsável por distribuir as emissoras dentro de faixas de frequência de maneira que não haja interferência nas transmissões. “Acredito que até o dia 25 de fevereiro as primeiras emissoras comecem a apresentar os documentos para iniciar o processo”, enfatizou.

Atualmente, em todo país, 1.781 emissoras estão como AM, sendo que 1.385 já pediram para mudar de faixa. Ao todo, 948 rádios poderão fazer a migração em 2016. As demais emissoras terão que aguardar a liberação do espaço, que deve acontecer com a digitalização da TV no país que abrirá mais espaço para as novas FMs.
“Nos grandes centros urbanos, o espectro do rádio elétrico está muito congestionado. Com o desligamento da TV analógica vai sobrar mais espaço para que as [rádios] AM migrem para a frequência FM”, explicou o conselheiro da Anatel, Rodrigo Zerbone Loureiro, que também participou do debate.

O conselho volta a se reunir no início da tarde de hoje para discutir a violência contra os profissionais de comunicação e os efeitos da crise econômica sobre a comunicação social.

Fonte: JL/Agência Brasil

Pesquisa descobre planta do PI para combater o Aedes aegypti

Estudo mostra que chá do pinhão roxo mata as larvas do mosquito. Eficiência do composto natural foi semelhante ao de um inseticida químico

11Pesquisadores do curso de biologia da Universidade Estadual do Piauí (Uespi) descobriram uma planta típica do Nordeste capaz de combater o Aedes aegypti. O estudo pioneiro, que iniciou em 2013 e segue em fase de experimental, comprovou a eficiência do ‘pinhão roxo’ para eliminar as larvas do mosquito.

Durante a pesquisa, larvas do mosquito foram colocadas no chá da planta, em diferentes concentrações, feito a partir de folhas ressecadas. Em contato com a substância, os mosquitos em fase inicial morreram em dois ou três dias, antes mesmo de chegar na frase adulta, comprovado o teor tóxico do pinhão roxo.

Para a professora doutora Francielle Aline Martins, coordenadora do projeto ‘Atividade larvicida de Jatropha para Aedes aegypti’, o resultado na primeira etapa da pesquisa é bastante animador no combate ao mosquito, especialmente porque o chá da planta conseguiu matar na mesma proporção que um inseticida químico, como o nilbezuron utilizado pelos agentes de endemias.

“A ideia da pesquisa iniciou em 2013, com a intenção de avaliar a eficiência do pinhão roxo na eliminação do Aedes aegypti. Tudo começou antes mesmo deste surto por conta do zika vírus, até porque nossa preocupação era somente com a dengue, em pensar formas de tentar ajudar no combate a esta doença. Sabíamos que a melhor maneira de combatê-la era eliminando o vetor, no caso o mosquito”, explicou a coordenadora do projeto.

De acordo com Francielle Aline, o uso da planta como bioinseticida pode ser mais eficiente do que um inseticida químico, já que ele é natural. Na segunda etapa da pesquisa, com previsão de conclusão até agosto de 2016, a professora espera avaliar o risco ambiental do chá do pinhão roxo.

“Nossa preocupação agora é com a segurança ambiental. Apesar dos bons resultados na primeira etapa da pesquisa, não orientamos ninguém sair tomando o chá ou espalhando ele pelo ambiente, até porque não sabemos o seu risco toxicológico. O segundo passo agora é avaliar o risco do pinhão roxo em cebolas e moscas, especialmente neste última espécie por ter o controle genético parecido com o do ser humano. Vamos descobrir se esta substância é capaz de causa mutações genéticas”, alertou.

PesquisaA primeira parte do estudo larvicida foi desenvolvido através do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica (Pibic) da Uespi, entre os anos de 2013 e 2014. Foram avaliados ainda o látex e o óleo das sementes dos três tipos de planta da mesma espécie, o pinhão roxo, manso e o bravo.

O bolsista Rafael Silva e os colaboradores Maria Wlly Costa e Wallace Baldez realizaram o trabalho de coleta das plantas, extrato do látex e criação do mosquito. Durante dois anos, os estudantes de biologia desenvolveram um composto alternativo e menos danoso que o inseticida químico utilizado atualmente pela Secretaria de Saúde.

“Foi um trabalho árduo, mas gratificante, principalmente agora que se sabemos de tantas doenças transmitidas pelo mosquito. É uma satisfação para todos que ajudaram nesta pesquisa descobrir uma forma de combater o Aedes e mostrar este resultado para a sociedade no momento de surto como esse”, declarou Rafael Silva.

Felizes com o estudo, o voluntários do projeto Maria Wlly e Wallace Baldez lembraram dos dias em que abdicaram das saídas para desenvolver a pesquisa. Com o apoio do professor doutor Reginaldo Roriz, do Núcleo de Tubologia da Universidade Federal do Piauí (UFPI), os alunos puderam manter o criadouro do mosquito e analisar o efeito nas larvas.

“Nós três nos reversamos para alimentar os mosquitos, depois para eclodir os ovos e acompanhar a reação do chá de pinhão roxo nas larvas. É um resultado compensatório e somente ao concluir esta primeira etapa vimos a importância maior da pesquisa para combater tantas doenças”, comentaram.

Fonte: JL/G1PI

Flagra mostra caminhão do PAC em obra ‘privada’ de parente da prefeita de Esperantina

vilmaamorim-prefeitaOs moradores do município de Esperantina estão revoltados com a divulgação de imagens onde um caminhão do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento) é usado para tirar entulho de uma obra particular. Segundo a postagem no Facebook, a obra é na residência de um familiar do esposo da prefeita Vilma Amorim (PT).

“Prefeita essas máquinas tem que estar é consertando nossas estradas e ruas de bairros que estão cheios de buracos”, diz a postagem.

Enquanto a cidade está entregue ao abandono, onde as construções públicas foram abandonas e as ruas da cidade estão cobertas de buraco, o único crescimento que a prefeita parecer estar preocupada é com o do patrimônio da família.

12714497_483212541881669_1549435411_n.jpg

12735585_483213021881621_1643985232_n.jpg

12736354_483215535214703_76606307_n.jpg

12746141_483212748548315_1964258621_n.jpg

12746190_483215148548075_1665675546_n.jpg

Publicado Por: Jhone Sousa

Moro diz ao TSE que propina abasteceu campanhas e sugere oitiva de delatores

sergio_moro_originalO juiz federal Sergio Moro afirmou à Justiça Eleitoral que a Operação Lava Jato comprovou o repasse de propina a campanhas eleitorais em troca de contratos da Petrobras. Moro encaminhou ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) documentos de dez ações penais da Lava Jato em primeira instância para subsidiar um dos quatro processos que podem resultar na cassação da presidente Dilma Rousseff e de seu vice, Michel Temer.

“Destaco que na sentença prolatada na ação penal 5012331-04.2015.404.7000 reputou-se comprovado o direcionamento de propinas acertadas no esquema criminoso da Petrobras para doações eleitorais registradas”, escreveu Moro, em ofício ao Tribunal Superior Eleitoral, encaminhado em outubro do ano passado. No processo citado por Moro, a Justiça Federal entendeu que o diretório nacional do PT recebeu propina de 4,26 milhões de reais, entre 2008 e 2012. O dinheiro ilícito era destinado à Diretoria de Serviços da Petrobras, então comandada por Renato Duque, e repassado ao partido por empresas de Augusto Ribeiro de Mendonça Neto com aval do ex-tesoureiro petista João Vaccari Neto, preso e condenado pela lavagem de dinheiro por meio dessas doações.

Ele também indicou caminhos para que a corte eleitoral verifique a acusação dos autores da ação, o PSDB e a Coligação Muda Brasil, do senador tucano Aécio Neves (MG), candidato a presidente derrotado no segundo turno das eleições em 2014. Em uma das ações de investigação judicial eleitoral (AIJE), Dilma e Temer são acusados de abuso de poder político e econômico com “gastos acima do limite” e “recebimento de doações oficias de empreiteiras contratadas pela Petrobras como parte de distribuição de propinas”.

Sérgio Moro sugeriu à Corregedoria-Geral Eleitoral que sejam ouvidos os delatores da Lava Jato que confirmaram em âmbito criminal que repasses de propina foram mascarados como doações eleitorais oficiais e também entregue como caixa dois. “Saliento que os criminosos colaboradores Alberto Youssef, Paulo Roberto Costa, Pedro José Barusco Filho, Augusto Ribeiro de Mendonça Neto, Milton Pascowitch e Ricardo Ribeiro Pessoa declararam que parte dos recursos acertados no esquema criminoso da Petrobras era destinada a doações eleitorais registradas e não-registradas. Como os depoimentos abrangem diversos assuntos, seria talvez oportuno que fossem ouvidos diretamente pelo Tribunal Superior Eleitoral a fim de verificar se têm informações pertinentes”, escreveu Moro.

Conforme revelou VEJA, o doleiro Youssef relatou em acordo de colaboração premiada que Dilma e o ex-presidente Lula tinham conhecimento do esquema criminoso na Petrobras. O empreiteiro Ricardo Pessoa, dono da UTC, declarou ter sido pressionado a fazer doações de 7,5 milhões de reais à campanha de reeleição da presidente, em 2014, pelo ministro da Secretaria de Comunicação Social, Edinho Silva, então tesoureiro da petista. O ministro nega.

Ofício do juiz Sérgio Moro ao Tribunal Superior Eleitoral
Ofício do juiz Sérgio Moro ao Tribunal Superior Eleitoral(Reprodução/VEJA)

O juiz responsável pela Operação Lava Jato em Curitiba também encaminhou documentos, entre denúncias e sentenças, referentes a dez ações penais que tramitam na 13ª Vara Federa. Moro disse ao TSE que, segundo uma das denúncias do Ministério Público Federal, “recursos de propinas no esquema criminoso da Petrobras teriam sido utilizados para doações eleitorais não-registradas”. “Além das ações penais, há diversas investigações em curso que eventual e incidentalmente poderão confirmar outros repasses de propinas a campanhas eleitorais. Caso algo da espécie seja constatado, encaminharei as informações pertinentes e esta Egrégia Corte Eleitoral”, afirmou o juiz.

No TSE, Dilma e Temer são alvos de uma representação, duas ações de investigação judicial eleitoral e uma ação de impugnação de mandato eletivo (AIME). Nesta última, que corre em segredo de Justiça, Temer apresentou na última quarta-feira uma defesa em que rebate a acusação do PSDB e rechaça o recebimento de dinheiro de propina em caixa dois ou doação registrada. O peemedebista fala em “inconformismo” do PSDB com o resultado das eleições e afirma que o partido também recebeu dinheiro das empreiteiras investigadas na Lava Jato. A presidente deve encaminhar defesa até a semana que vem, na mesma linha do vice.

Nova picape da Fiat já está nas garagens das concessionárias do Piauí

nova pika piConsiderado um dos lançamentos mais aguardados este ano no setor automobilístico, a nova picape da Fiat, Toro, já está nas garagens das concessionárias da montadora no Piauí.

Em Teresina é a Jelta Veículos, com sede na avenida João XXIII, zona Leste de Teresina, quem primeiro recebeu o carro. Segundo apurou a reportagem do O Olho, os carros chegaram na semana passada às garagens da concessionária. No entanto ainda estão ‘escondidas’ dos clientes.

Obedecendo o lançamento nacional, que deve ocorrer nesta semana, a Jelta Veículos deve começar a venda do carro –que tem fila de espera– a partir da próxima terça-feira, dia 16, data do lançamento nacional.

Os preços do carro ainda não foram divulgados, mas é possível que fique entre R$ 71 mil para a versão Freedom 1.8 flex com câmbio automático de seis marchas e R$ 135 mil para a top de linha Volcano 2.0 diesel, com tração 4×4 e câmbio automático de nove marchas.

Fabricada em Goiana (PE) a Fiat Toro tem parte de sua plataforma compartilhada com o Jeep Renegade (aproximadamente 60% das peças são comuns aos dois). Nas palavras da Fiat, a Toro é uma Sport Utility Pick-ups (SUP), uma picape com o conforto e dirigibilidade de um SUV. A tração 4×4 não deverá estar em todas as versões. Entra para concorrer diretamente com a Renault Oroch e não com as ‘grandes’ Toyota Hilux, Volks Amarok e outras da categoria.

Veja fotos de como é a nova picape da Fiat:

Jovem forja assalto para evitar casamento

A delegacia da cidade de Oeiras, situada a 271 km de Teresina, realizou uma investigação a respeito de um assalto ocorrido na tarde desta sexta-feira (12/02), no Centro da cidade. Na ocorrência, uma jovem teria sido assaltada por dois homens em uma moto e os acusados subtraíram o valor de R$ 5 mil da vítima.

oeiras-640x480

Praça das Vitórias (Foto: Secretaria de Cultura de Oeiras)

No entanto, após diligências, a polícia constatou que tudo foi forjado pela jovem. Isso porque os agentes desconfiaram da veracidade do fato, já que ela disse ter sido assaltada às 15h e o B.O só foi registrado às 17h.

A polícia ouviu pessoas mais próximas que estavam no local onde a mulher disse ter sido assaltada. Após interrogações, os moradores afirmaram que não tinham visto nenhuma movimentação diferente no horário citado.

Após muitas contradições e questionamento da polícia, a mulher confessou que inventou o roubo porque o dinheiro seria usado para pagar as despesas do seu casamento e ela não queria mais casar.

A vítima, que agora é acusada, será indiciada por denúncia caluniosa.

Agora Vai. Roberto William é aclamado como novo Presidente da Associação de Moradores do Joaz Souza

roberto wilianNo fim da tarde deste sábado (13/02) ocorreu uma nova eleição para Presidente da Associação Comunitária de Moradores do Conjunto Joaz Souza, no Bairro Igaraçu em Parnaíba. O evento foi organizado pela FAMEPI (Federação das Associações de Moradores do Piauí), sob o comando de sua representante na cidade a Senhora Maria das Graças Viana.
Vários moradores da comunidade participaram do ato que elegeu o novo presidente da Associação Comunitária de Moradores do Conjunto Joaz Souza. A nova Eleição se deu porque houve a renúncia da ex-presidente. O prédio encontrava-se abandonado servindo para vândalos e marginais e consequentemente sem servir aos moradores.
Moradores da comunidade, em comum acordo, apresentaram chapa única que foi encabeçada pelo jovem Roberto William. Todos os presentes foram favoráveis e assinaram ata da Assembleia realizada. A posse da nova diretoria está marcada para o próximo domingo dia 21 de fevereiro de 2016 na sede da Associação.
A Presidente da FAMEPI Sr. Graça Viana lembrou que a instituição só será forte com o apoio dos moradores. A ex-presidente da associação Maria dos Milagres também marcou presença e se colocou à disposição para ajudar a nova gestão.
“Nossos projetos e sonhos continuam os mesmos. Temos a experiência e a garra da juventude para trabalhar com essa diretoria e tenho toda convicção que iremos desempenhar um grande trabalho. Associação é de todos e não vamos excluir ninguém’’ disse Roberto William o novo presidente.
ASCOM 

Conselho de Comunicação debaterá migração das rádios AM para FM

radioO Conselho de Comunicação Social do Congresso Nacional realizará um seminário na próxima segunda-feira (15) para discutir a migração das rádios AM para FM no Brasil. A migração das estações foi autorizada em novembro de 2013 (Decreto 8.139/13).

A qualidade de áudio superior e a facilidade de sintonia têm levado as emissoras a optar pelo espectro da Frequência Modulada (FM), o que tem mudado o perfil do setor de radiodifusão nacional. Além disso, vem diminuindo a oferta de aparelhos com receptores AM.

Durante o seminário, os participantes devem avaliar também a falta de espaços disponíveis na modalidade de frequência FM para as novas emissoras que estão chegando e ainda os valores a serem pagos para a mudança de faixa.

Fonte: Imirante.com