Caso Fernanda Lages volta para Civil com pedido de diligências do MP/PI

O Ministério Público do Piauí solicitou à Delegacia Geral de Polícia Civil do Estado a realização de novas diligências de investigação da morte da estudante de Direito Fernanda Lages. A jovem foi encontrada morta no dia 25 de agosto de 2011, nas obras da nova sede do Ministério Público Federal, na avenida João XXIII, zona Leste de Teresina.
No último dia 11 de julho de 2013, os promotores que acompanham o caso, Ubiraci Rocha e Eliardo Cabral, convocaram entrevista coletiva para anunciar que estavam solicitando afastamento do caso. A justificativa é o fato de que os promotores são alvos de processo administrativo da Corregedoria sob alegação de não cumprirem prazo de 15 após a conclusão do inquérito para se pronunciarem. 
A expectativa da família que a nova diligência trate-se de autopsia psicológica: estudo a ser realizado com parentes e amigos que conviviam com Fernanda Lages que possa confirmar, ou refutar, a hipótese de que a jovem teria tendências suicidas. Investigações da Polícia Federal no Piauí apontaram que a estudante teria cometido o suicídio ou teria sido vítima de um acidente. 
“O que a família sabe é que esse pedido seria protocolado em breve, mas ainda não recebemos nenhuma comunicação oficial. Sabemos que o promotor Ubiraci Rocha está de férias e que a solicitação de nova diligência ia ocorrer quando ele retornasse. A família segue a espera de notícias”, explica o pai da estudante, Paulo Lages.
O Cidadeverde.com tentou contato com os promotores através de ligações e não obteve retorno. 
Lívio Galeno

Deixe uma resposta