Para evitar demolição do Templo de Salomão, Universal doa terreno de R$ 38 milhões à prefeitura de SP

templo-de-salomao-1A Igreja Universal do Reino de Deus foi obrigada a tomar uma medida concreta para obtenção do alvará definitivo do Templo de Salomão, em São Paulo, já que o megatemplo estava sob risco de fechamento.

A denominação do bispo Edir Macedo assinou, no último dia 17 de outubro, uma escritura com promessa de doação à prefeitura de um terreno de 17 mil m², no valor de R$ 38 milhões, e registrou o documento em cartório.De acordo com informações do jornal Folha de S. Paulo, os representantes da prefeitura vinham se reunindo com os responsáveis pelo megatemplo, negociando com a Universal a contrapartida social da igreja para que o local recebesse o chamado “habite-se”. A administração de Fernando Haddad (PT) chegou a considerar a hipótese de demolir a construção.

O Templo de Salomão tem 74 mil m² de área construída (3,2 vezes mais que a Basílica de Aparecida), ao custo de R$ 685 milhões. “Segundo um parecer técnico apresentado por uma comissão à época [da inauguração], a igreja usou informações falsas para burlar a legislação. O correto era que o imóvel fosse aprovado após processo para alvará de construção, não de reforma. A liberação do projeto ocorreu após decisões do ex-diretor do APROV (departamento que autorizava construções) Hussain Aref Saab, que ignorou o parecer. Aref é suspeito de comandar esquema de corrupção na aprovação de obras”, noticiou a Folha.

“Era uma pendência que precisava ser resolvida e agora será um ganho para a cidade”, afirmou o prefeito Fernando Haddad, comemorando a doação do terreno em um bairro vizinho, que permitirá a construção de 700 moradias populares.

Entenda

A legislação de zoneamento da cidade previa que o terreno onde o Templo de Salomão foi construído fosse destinado a moradias populares. A contrapartida exigida da Universal era que 40% do terreno fosse dedicado a esse fim.

Para driblar essa obrigação, a Universal solicitou um alvará de reforma para o edifício que havia no local anteriormente, o que a desobrigaria de destinar parte da área para casas. No entanto, o prédio já havia sido demolido, e o prefeito Fernando Haddad, ao assumir, questionou a denominação.

O impasse foi solucionado com a oferta de contrapartida da igreja, que só agora está sendo formalizada. O acordo, verbal, entre as partes, garantiu o funcionamento do Templo de Salomão nestes dois anos, com a renovação dos alvarás provisórios a cada seis meses.

A Igreja Universal informou ao jornal, por meio de nota, que tem até 180 dias para doar o imóvel e que “o compromisso de doação – que se soma a outras providências já tomadas pela igreja – proporcionará a obtenção do habite-se”.

Bancada evangélica decidirá rumos do projeto da “Escola sem Partido”

Bancada evangélica decidirá rumos do projeto da “Escola sem Partido”

O Projeto de Lei 867/2015, mais conhecido como “Escola sem Partido” possui várias propostas que versam, entre outras coisas, sobre a proibição dos professores de propagarem ideias políticas ou religiosas em sala de aula. Para desespero das vertentes esquerdistas da Câmara, quem comandará os trabalhos da comissão especial que analisa a proposta são membros da bancada evangélica.

O presidente eleito nesta quarta-feira (19/10) foi o deputado Marcos Rogério (DEM/RO), enquanto a vice-presidência ficou com o deputado Pastor Eurico (PHS/PE) e o deputado Flavinho (PSB-SP) será o relator.

Essa comissão irá analisar pelo menos cinco projetos que tratam do assunto. Para facilitar os debates e evitar duplicação de esforços, foram pensados ao texto os projetos de lei 7181/2014, 867/2015, 1859/2015, 5487/2016, 6005/2016. A proposta do deputado Rogério Marinho (PSDB/RN) é a mais incisiva, pois prevê detenção para docentes quem tentarem doutrinar os alunos.

O assunto ganhou atenção dos brasileiros nos últimos meses, principalmente após a “ocupação” de escolas em vários estados onde visivelmente os professores induziram os alunos a repetir um discurso ideológico de fundo marxista.

Caso seja aprovado, o “Escola sem partido” defenderá que a educação atenda aos princípios de neutralidade e garantirá o pluralismo de ideias. A comissão, composta por 30 membros titulares, pretende realizar audiências públicas sobre o assunto. Descontentes com o projeto, até o momento, PT e PCdoB não indicaram seus representantes.

Objetivo é proteger a educação

Falando ao Gospel Prime, o deputado Marcos Rogério diz estar ciente “do grande prejuízo que a ideologização causa na formação de nossas crianças”, mas afirma que os deputados terão “a cautela de não engessar a liberdade de ensinar do professor”.

Ele acredita que, ao contrário das críticas que o projeto recebe da ala esquerdista da Câmara,  o resultado será “um texto o mais adequado possível aos interesses da boa educação…  livrando nossas crianças de doutrinação ideológica e valorizando o bom professor, como determina o artigo 206 da Constituição Federal”.

O vice-presidente, pastor Eurico, afirmou ao Gospel Prime que o objetivo é proteger a educação no Brasil. “Estão usando as escolas para fins partidários, e precisamos pensar melhor na educação. Independentemente da sigla do partido, nossa luta é para que a escola seja sem ideologias partidárias. Nossa luta é para que os estudantes sejam respeitados em todos os aspectos”, asseverou.

 

 

 

 

 

fonte ; gospel prime

Filme sobre a vida de Edir Macedo vira trilogia e poderá custar R$ 48 milhões, revela jornalista

bispo-edir-macedoO filme sobre a vida do bispo Edir Macedo passou por mudanças significativas em seu planejamento, e agora os produtores anunciaram a intenção de produzir uma trilogia, ao custo de R$ 48 milhões.

O valor estimado por cada um dos filmes é de R$ 16 milhões, que seria um pouco mais do que a média dos filmes com grande orçamento no Brasil, que costumam obter R$ 7,5 milhões, sempre à base de financiamento através de leis de incentivo à cultura.

De acordo com informações do jornalista Ricardo Feltrin, do Uol, “a Record, a princípio, não pretende recorrer a nenhuma lei de incentivo, como a Rouanet, para bancar o filme”. No planejamento da emissora, a trilogia seria “inteiramente patrocinada por terceiros”.

“A emissora começou nos últimos dias a sondar empresas e interessados em uma eventual parceria para a execução dos três filmes, que serão baseados nas três biografias escritas pelo jornalista e diretor da Record, Douglas Tavolaro – também produtor-executivo dos filmes”, escreveu Feltrin, referindo-se aos livros best-sellers “Nada a Perder”.

A produção, ainda em fase de planejamento, estima que as filmagens possam acontecer já no segundo semestre de 2017, ou “no mais tardar em 2018”, estima o jornalista. “Dada a imensa variedade de países e complexidade das locações (e custos) onde serão rodadas cenas, uma das propostas é realizar os três filmes de uma só vez – o que pode se transformar na maior empreitada da história do cinema brasileiro”, acrescentou Feltrin, referindo-se à estratégia usada por grandes diretores de Hollywood, como Peter Jackson, que filmou as sagas “O Senhor dos Anéis” e “O Hobbit” nesse formato.

“Além de empresas, a Record também pode pedir apoio a governos internacionais, já que o filme tem locações previstas em todos os continentes. Uma das comunidades que podem ser chamadas à parceria seria a judaica –dada a ótima relação entre a Universal e o governo de Israel”, concluiu o jornalista.

Igreja Universal paga R$ 90 milhões em terreno para erguer novo Templo de Salomão em Brasília

templo-de-salomaoA Igreja Universal do Reino de Deus aposta de forma definitiva nos megatemplo para concretizar seu plano de expansão entre os fiéis neopentecostais, e agora, deverá erguer uma nova réplica do Tempo de Salomão no Distrito Federal.

A construção do novo megatemplo da Universal ainda não foi oficialmente anunciada, porém informações do jornalista Guilherme Amado, do jornal O Globo, asseguram que a denominação fundada por Edir Macedo acaba de adquirir um terreno em Taguatinga, cidade-satélite de Brasília, por R$ 90 milhões.

“Edir Macedo comprou um gigantesco terreno em Taguatinga, cidade satélite de Brasília, para construir o segundo Templo de Salomão, em uma versão um pouco menor do que o de São Paulo, inaugurado há dois anos”, informou Amado. “O chefe da Universal pagou R$ 90 milhões”, acrescentou o jornalista.

O Templo de Salomão – uma réplica superdimensionada do templo bíblico erguido pelo rei hebreu onze séculos antes de Cristo, de acordo com determinação divina – é o ponto concreto de uma guinada da Igreja Universal em direção ao sincretismo religioso com o judaísmo.

Antes, nas mais de três décadas de fundação da denominação, estudiosos da religião apontavam o sincretismo da Universal com crenças de matriz africana, como umbanda e candomblé, por exemplo.

A atual sede da Igreja Universal do Reino de Deus, no bairro do Brás, em São Paulo, foi erguida ao custo de R$ 685 milhões, levando quatro anos para ser concluída. Macedo ordenou a importação de pedras de Israel para a fachada, e a reprodução de detalhes do culto judaico, como por exemplo a Arca da Aliança e a menorá, um candelabro com 12 “braços”.

No megatemplo de São Paulo há a capacidade para 10 mil pessoas, sentadas, e um dos caprichos de Edir Macedo foi a instalação de 10 mil lâmpadas de LED no auditório, uma sobre cada assento.

Terrorista tenta matar família de pastor, mas acaba vendo a Jesus

 homem-adorandoAl-Rashid era o comandante de um grupo islâmico radical, que desejava converter todos ao Islã e fazer todas as nações submeterem-se ao domínio muçulmano. Depois de ouvir relatórios seguidos de muçulmanos trocando Maomé por Jesus, decidiu criar uma força-tarefa para rastrear os líderes cristãos que eram responsáveis por isso.

O objetivo era fazer esses homens se converterem ao islamismo ou matá-los, caso se recusassem. Foi quando soube que o pastor Paul, um ex-muçulmano que agora liderava um ministério de evangelização em diferentes partes do mundo. De fato, Paul e sua equipe distribuem Bíblias em muitas línguas e ajudam na formação de igrejas domésticas subterrâneas em países onde o evangelho é proibido.

Após acompanhar os passos do pastor, Al-Rashid traçou um plano para matar a família dele e depois sequestrar o líder cristão, forçando-o a voltar para o Islã. Todas as tentativas de levar isso adiante fracassaram. “Nós atacamos várias vezes”, conta o extremista, “mas eles escapavam milagrosamente.”

Certa noite foi até a casa da família pastoral à noite, desejando matar a todos, mas chegando lá viu o que pareciam ser muitos soldados ou homens armados ao redor do local, e por isso desistiu. Depois soube que não havia ninguém do lado de fora da casa naquela noite, o que o deixou intrigado.

Tempos mais tarde, Al-Rashid descobriu que a família do pastor estava passando por necessidades, incluindo falta de alimentação adequada para os filhos. Decidiu enviar uma mulher para entregar uma comida envenenada para eles. Contudo, na metade do caminho ela foi atacada por um cão, ficou seriamente ferida e nunca entregou os pacotes.

Decidiu então enviar uma segunda mulher, que deu chocolate com veneno para os filhos do pastor Paul. Mesmo depois de comer, eles sobreviveram, mas a menina ficou muito doente e foi internada.

“Eu estava assistindo, junto com dois outros homens de longe, para ver se ela morreria no hospital. Nosso plano era sequestrar o corpo dela”, conta Al-Rashid. Foi então que aconteceu algo inesperado.

“Vi uma bola de luz descer do céu e repousar sobre o quarto onde a filha dele estava deitada, inconsciente”, lembra. Sem entender o que estava acontecendo, percebeu claramente que uma mão saiu da bola de luz e tocou a filha do pastor. A menina imediatamente recuperou a consciência e se levantou.

Explica que a imagem daquela mão com um buraco no meio da mão e sangue que escorria dela o impressionou. “Eu tremia de medo”, diz Rashid. “Fiquei tonto e caí.” Depois dessa visão incomum, o líder terrorista passou a ter dificuldades para dormir.

Toda vez que fechava os olhos por muito tempo, lembrava daquela mão. Algumas noites depois, a sombra de um rosto humano apareceu junto com a mão e lhe perguntou por que ele o estava “pregando”. “Eu perdi a minha paz”, recorda Al-Rashid.

Lembrou então que tinha uma Bíblia em seu quarto, que consultava de vez em quando para fazer críticas ao cristianismo e tentar demonstrar a superioridade do Islã. Abrindo ao acaso, seus olhos caíram no texto de João 1: 9-10: “Estava chegando ao mundo a verdadeira luz, que ilumina todos os homens. Aquele que é a Palavra estava no mundo, e o mundo foi feito por intermédio dele, mas o mundo não o reconheceu”.

“Naquele momento eu entendi o que falavam sobre Jesus”, diz ele. Compreendeu que a luz que vira era realmente Jesus, que sangrou por ele quando foi pregado na cruz. Perturbado, Al-Rashid procurou o pastor Paul e contou tudo. Para sua surpresa, recebeu um abraço e ouviu do líder cristão, com lágrimas escorrendo pelo rosto, que estava perdoado.

Naquela noite, Al-Rashid entregou sua vida a Jesus Cristo e nasceu de novo. Agora dedica sua vida para evangelizar muçulmanos que, como ele, estão enganados. Trabalhando com o ministério Bibles for Mideast [Bíblias para o Oriente Médio], hoje conta seu testemunho de como foi alcançado pelo amor de Deus. Com informações de Bibles4mideast

Malafaia reage a discurso de Dilma, que atribuiu impeachment à homofobia: “Cala a boca”

A ex-presidente Dilma Rousseff (PT) fez um discurso após sua deposição atacando seus opositores e a ala conservadora da sociedade, a quem chamou de misógina, machista, homofóbica e racista. O pastor Silas Malafaia comentou a fala, chamando-a de “imbecil”.

“Eu quero dar aqui uma resposta, como cidadão, ao discurso imbecil de Dilma Rousseff quando saiu a sentença do impeachment. Viu como é que ela botou as unhaszinhas de fora? Viu como é que são os esquerdopatas, que eles não aguentam? Dilma, você vir atribuir [sua cassação] àqueles que defendem família – porque eles gostam de nos chamar de fundamentalistas -; falar de homofobia… Dilma, você perdeu o mandato porque você cometeu crime”, disse o pastor.

Malafaia lembrou a ex-presidente que ela, agora, pode entrar na alça de mira da Justiça: “Não vem com essa banca de honesta, não, porque tem denúncias da [Operação] Lava-Jato que suas campanhas eleitorais levou (sic) dinheiro de roubo, corrupção. Roubaram o país e injetaram na tua campanha. Tu tem moral para falar alguma coisa, Dilma? Tu tem moral para acusar alguém? Cala a boca. Você vai encontrar ainda com o Sérgio Moro. Fica tranquila, seus dias estão contados”.

“O governo mais corruto da história do Brasil. Essa é que é a verdade. Sucatearam, arregaçaram com a economia. 12 milhões de desempregados, empresas quebrando à torto e à direita, mais de 100 mil lojas fechadas, e ainda vem com marra, banca?”, questionou o pastor, esbravejando.

Sobre as afirmações de Dilma, que saiu em defesa do modelo progressista que ela e o Partido dos Trabalhadores se empenharam em implantar no país, Malafaia foi pontual: “Tirou a máscara”.

Até então, quando buscava apoio entre lideranças evangélicas, Dilma evitava assumir compromisso com questões como a legalização do casamento gay, aborto e ideologia de gênero. No discurso de ontem, falou abertamente sobre a defesa dessas questões.

“Defendeu [um suposto combate à] homofobia, defendeu ideologia de gênero, né? Isso é para o povo cristão ver quem eles são. Eles colocam uma máscara, mas está lá dentro deles. Aproveito para dar um alerta ao povo cristão e às pessoas de bem: em quem você vai votar para prefeito e vereador? Esses caras são tão cínicos e dissimulados que eles escondem o partido que são. Deixaram o vermelho. Agora é roxo, azul, amarelo… Ideologia de gênero, Dilma, foi rejeitada pelo Senado em 2012, e rejeitada pela Câmara em 2014”, pontuou.

Nada do que ela diz é verdade, afirma Marco Feliciano no Conexão Repórter

roberto-cabrini-e-marco-felicianoNada do que ela diz é verdade, diz Feliciano no Conexão Repórte
 O programa Conexão Repórter do SBT, apresentado por Roberto Cabrini, que foi ao ar na madrugada desta segunda (15), abordou o caso envolvendo o deputado Marco Feliciano (PSC/SP) e que tem sido amplamente noticiado nas últimas duas semanas.

Cheio de reviravoltas, contradições e com muitos detalhes que ainda precisam ser esclarecidos, as denúncias da estudante de jornalismo Patrícia Lelis, 22 anos, dão conta que ela foi assediada, agredida e vítima de uma tentativa de estupro por parte de Feliciano.

O deputado sempre negou as acusações, mas vinha mantendo silêncio desde que a história vazou para a imprensa, no último dia 3.

Ao longo de uma hora, Cabrini mostrou várias versões do que teria acontecido, que incluíam duas entrevistas com Patrícia e uma com o parlamentar. Também ouviu Talma Bauer e Emerson Biazon, que são elementos-chave dentro da trama que parece ter saído de uma produção de Hollywood.

A polícia está investigando o caso em duas frentes, pois Patrícia registrou dois Boletins de Ocorrência (BO) diferentes. Em São Paulo, denunciou Talma Bauer, Emerson Biazon e Marcelo Machado por coação e cárcere privado. Já na capital federal as acusações são contra Marco Feliciano por assédio sexual.

Um programa, 4 versões

Logo no início, o Conexão Repórter lembrou as polêmicas na trajetória política de Feliciano, chamado de “radical”, “moralista” e “homofóbico”. Foram apresentadas as versões do deputado, da jovem que o acusa, do chefe de gabinete e de um dos ‘intermediários’ de Patrícia.

Os primeiros minutos mostraram uma visita ao apartamento ocupado pelo congressista em Brasília, onde a jovem alega que o crime ocorreu. Aparentando tranquilidade, Feliciano começa a entrevista afirmando que está falando a verdade, pois nesse momento “Ao faltar com a verdade iria destruir com a minha vida”.

Disse que não teria problemas em admitir seus erros, mas não tem o que confessar. Classificou os relatos de Patrícia como uma “História fantasiosa, lunática”, insistindo que se trata de injúria e calúnia contra ele.

Ao subir no prédio para realizar a entrevista, o jornalista do SBT mostrou que é necessário fazer um registro na portaria. Não há nenhuma entrada com o nome da estudante nos livros de entrada do prédio, o que indicaria que Patrícia nunca esteve na residência do pastor.

Feliciano também questiona alguns pontos do relato da estudante, a qual insiste que o estupro só não se consumou por que uma mulher que estava no corredor do prédio teria ouvido seus gritos e batido na porta do apartamento. Ela nunca foi identificada. Insiste na tese de que não haveria motivos para ela demorar 40 dias para procurar a polícia, mostrando convicção que pode haver “alguém” querendo lhe prejudicar com tudo isso.

O principal argumento de defesa do parlamentar do PSC é que na data e horário em que Lélis relatou no B.O como o momento das agressões, Feliciano estava em audiência com o ministro do Trabalho Ronaldo Nogueira. Fato confirmado pelas imagens das câmeras de segurança do prédio. O pastor ficou mais de uma hora no local e também há registros do momento em que ele sai.

Esse não é o único problema na versão de Patrícia. Nos dois relatos feitos a polícia ela caiu em contradição, indicou endereços diferentes. Nenhum deles correspondem ao local onde o deputado mora. “Ela nunca entrou aqui”, assegurou o parlamentar a Cabrini, ao falar sobre a sua residência. Além de negar qualquer tipo de relacionamento com a estudante, o pastor explicou que esteve com ela apenas três vezes e nenhuma delas os dois estiveram sozinhos.

Ao repórter disse não ter conhecimento das negociações de seu assessor com Patrícia, ignora o porquê ele ter dado dinheiro a ela. Diz que o dinheiro não é seu nem foi dado por sua ordem. Garantiu que só tomou conhecimento dessa situação pela imprensa.

O pastor assegurou ter convicção que “Deus é justo” e comparou toda essa situação com o que passou José do Egito. Dirigindo-se aos evangélicos, Feliciano lembrou que o personagem bíblico “foi condenado por uma calúnia. José foi preso, mas eu não serei”.

Patrícia não muda de versão

Por sua vez, Patrícia Lelis repetiu no programa de TV o mesmo relato que deu à imprensa desde que o caso veio à tona. Como provas, apresentou os prints de conversas que supostamente teve com o deputado através do WhatsApp.

Ao ser indagada por que demorou 40 dias até registrar a queixa na delegacia, asseverou que sabia contra quem estava lutando. “Marco Feliciano tem tudo que eu não tenho: apoio, dinheiro e foro privilegiado”, sublinhou.

Contou detalhes sobre a manhã onde teria sido assediada sexualmente, tendo se deslocado até o apartamento de Marco Feliciano para uma reunião do partido. Reforçou a ideia de que Feliciano lhe fez proposta financeira para que fosse sua amante e que ela não aceitou.

Diante da recusa, o parlamentar a teria ameaçado com uma faca, exigindo que se despisse. A jovem diz que o vestido que ela usava naquela data teria “uma marca” que comprovaria o uso da arma branca. Mas ela não foi mostrada para a equipe de TV. Deu alguns detalhes do que teria se passado no apartamento até que apareceu a mulher que teria batido na porta.

Lelis nega que tinha interesses no partido, mas que como conhecia o presidente da sigla, o pastor Everaldo Pereira, o procurou para denunciar o ocorrido. Segundo ela, a resposta foi a oferta de “um saco de dinheiro” em troca de seu silêncio. Algo que assegura nunca ter pedido nem aceitado. Para a jovem, é revoltante que embora tenha procurado vários políticos não recebeu crédito. “Toda a bancada evangélica estava sabendo”, disparou, sem citar nomes.

O pastor Everaldo Pereira admitiu que a jovem teve um encontro com “a parte executiva do partido”. Mas negou que tenha oferecido dinheiro para a estudante. Classificou os relatos dela como “totalmente mentirosos” e “criminosos.

Na parte final da entrevista, Roberto Cabrini perguntou sobre o primeiro caso de estupro que ela diz ter sofrido. Um relato que nunca foi totalmente esclarecido. Quando procurou a polícia, ela não sabia descrever o homem, que teria entrado em sua casa para consertar uma máquina de lavar. Na ocasião ela tinha 15 anos.

No final, Patrícia explicou que não perdoa marco Feliciano, usando “nojo” e “ódio” para se referir a ele, reclamando sobretudo que ele “acabou com a minha imagem”.

Em uma breve aparição frente às câmeras, a mãe de Patrícia diz ter certeza que os fatos descritos pela filha realmente aconteceram.

Emerson filmou para se proteger

Toda a situação teria se resumido ao confronto das versões de Maro Feliciano e Patrícia Lelis se não fossem os vídeos gravados pelo assessor político Emerson Biazon. Entregues à polícia e também repassados para alguns órgãos de imprensa, as filmagens feitas por ele mostram o que aconteceu em São Paulo nos dias em que Patrícia relatou no BO que estava sendo ameaçada, coagida e sob cárcere privado.

Aprecem então o nome dos três “intermediários” que teriam de algum modo servido para receber dinheiro vindo do deputado e que chegariam até as contas da jovem. Arthur Mangabeira e Marcelinho são citados, mas não aparecem nas filmagens.

Biazon explica que resolveu filmar o que pôde para comprovar sua inocência após ter percebido que poderia ser envolvido de alguma maneira.

Além dos vídeos disponibilizados por ele, o programa do SBT mostrou imagens das câmeras de segurança do hotel, as quais comprovam que não houve sequestro.

Emerson disse a Cabrini que a jovem queria dinheiro. Ela teria tentado vender a história de seu envolvimento com Feliciano para vários jornalistas, mas nenhum aceitou pagar. Sendo assim, ela decidiu aceitar uma oferta de Bauer pelo seu silêncio.

O papel de Biazon seria o de intermediário, mas antes do encontro com Talma Bauer no hotel, o assessor de Feliciano já teria dado 50 mil reais a Arthur Mangabeira, algo que Patrícia desconhecia. Num dos vídeos fica clara a negociação da estudante com Bauer e que ela tinha alguma influência sobre ele, a ponto de pedir que ele “fizesse alguma coisa” contra o primeiro intermediário, que a enganou, repassado apenas 10 mil.

Ainda que Lelis negue constantemente ter pedido ou recebido dinheiro, além dos vídeos, Emerson forneceu tanto à polícia quanto ao SBT outros prints de conversas que teve com ela, onde fica evidente que existia uma negociação acontecendo ao longo de vários dias.

Isso é facilmente comprovado pelo fato de ser Bauer quem pagou tanto a passagem da jovem até São Paulo, quanto o hotel onde ela se hospedou, além de ter dado dinheiro para suas despesas durante a estadia dela na capital paulista.

Quando a polícia deteve Emerson e Bauer, no início das investigações, havia 20 mil reais em espécie, que fariam parte do pagamento à Patrícia. Ela passou o tempo todo da reportagem afirmando que não recebeu nada.

Pelo relato de Baizon, as negociações iniciadas por Arthur com Bauer começaram em um milhão de reais, foram baixando até 300 mil, sendo que o primeiro pagamento “fechou” em 50 mil. Ele finaliza dizendo ter certeza que Lelis quer “vingança” contra o deputado. Negou que o chefe de gabinete estivesse armado ou feito ameaças, algo que faz parte do B O de Patrícia. Ao mesmo tempo, assegura que Bauer falou o tempo todo com Feliciano, o qual estaria a par de tudo.

Bauer teria agido para evitar um “mal maior”

Talma Bauer também foi ouvido pela reportagem do SBT. Afirmou que existia uma manipulação por parte de Patrícia. Ele, como chefe de gabinete, queria “evitar um mal maior”. Portanto, tirou de suas economias o dinheiro dado à jovem.

Frisou que tomou várias atitudes sem comunicar ao chefe, por que as coisas estavam “indo bem”. Ele diz que ela usaria esse dinheiro para “pagar a faculdade”. Enfatiza que os relatórios da jovem são mentirosos. Após ser detido e prestado depoimento à polícia duas vezes sobre as declarações da estudante, ele está livre das acusações de coação e cárcere privado.

Ao Conexão Repórter, o delegado Luís Roberto Hellmeister, do 3º DP de São Paulo, onde o primeiro BO foi lavrado, disse que Patrícia pode passar de vítima a suspeita dos crimes de extorsão e falsa comunicação de crime. No final do programa, foi dada a informação que Talma Bauer pediu exoneração do cargo que ocupava no gabinete de Feliciano “até tudo ser esclarecido”.

Evangelismo durante Olimpíadas resulta em 208 conversões

criancas-sendo-alcancadasEvangelismo durante Olimpíadas resulta em 208 conversões
 Durante os Jogos Olímpicos da Rio 2016, a missão Lay Witnesses for Christ International (LWCI) realizou um trabalho na Comunidade Cidade de Deus que mescla esportes e evangelização, dentro do projeto ReachOut. A “Dinâmica esportiva: No Caminho certo” é uma estratégia usada pela instituição desde sua fundação, há 38 anos.

Atletas que já foram campeões olímpicos ou tiveram destaque mundial em um determinado esporte, treinadores renomeados e muitos missionários voluntários vão até o local escolhido para demonstrarem suas habilidades e compartilhar sobre Jesus.

Rosa Gutierrez

Rosa Gutierrez ministra aos presentes (FACEBOOK)

O evento desta quinta-feira (11), atraiu centenas de crianças e jovens da Cidade de Deus para ver de perto as exibições, aprender mais sobre os esportes olímpicos e ouvir o plano de Salvação.

Estiveram ministrando Randy Shepherd, ex-jogador de basquete norte-americano. Hoje, ele viaja o mundo utilizando os esportes para evangelizar. Outra ex-atleta presente foi Rosa Gutierrez, cinco vezes foi campeã nacional na corrida de longa distância nos Estados Unidos.

Durante o período das Olimpíadas as crianças estão de férias, sem atividades recreativas. Por não terem condições financeiras de assistir aos jogos, o evento levou-as a ter contato com atletas estrangeiros, algo que chamou muita atenção. Durante a tarde, os presentes foram incentivados e praticar esportes, além de ouvirem sobre a prevenção de drogas e álcool, além do combate à prostituição infantil.

Segundo os organizadores, 208 pessoas que participaram da dinâmica esportiva fizerem a confissão de fé no encerramento do encontro. Segundo Max Índio, missionário brasileiro que participou da coordenação, “eles receberam algo muito mais valioso que medalhas de ouro”.

O pastor Heron Jorge de Souza, que representa o Conselho de Ministros Evangélicos da Cidade de Deus – parceiro na inciativa, comemorou: “Para nós, que vivemos na comunidade, foi um grande impacto para as crianças”.

Randy Shepherd.

Randy Shepherd.

Na próxima terça-feira (16), o mesmo tipo de evento será realizado na comunidade da Rocinha. Em 17 de agosto, ocorre na Igreja Batista Atitude Central da Barra, a “Noite com os Atletas Olímpicos”.

Já está confirmada a presença do ex-velocista norte-americano Carl Lewis, um dos maiores medalhistas de todos os tempos – foram 10 ao todo. O objetivo é promover a integração, comunhão e descontração entre os atletas, além de se anunciar o amor de Deus.

primeiro aniversario da IGREJA DO EVANGELHO DE DEUS.

aconteceu neste sábado (06/08/2016), o primeiro aniversario da IGREJA DO EVANGELHO DE DEUS, liderada pelo pastor Carlos Fernandes ,  situada na rua afonso pena . A comemoração que teve a participação de outras igrejas convidadas , partilhou a alegria de estar comemorando um ano de existência , com apresentação de peças, danças e louvores , além da palavra da noite levada pelo convidado pastor Renato. É  de bom e grato coração que  igreja de Cristo agradece a todos que compareceram .

13820421_285803331783885_821759531_n 13883726_285805838450301_861840990_n 13933314_285803388450546_1883178357_n 13933501_285803361783882_2007958164_n 13933565_285803278450557_569729998_n 13936489_285803345117217_147278730_n 13936529_285803308450554_149997782_n 13936814_285803301783888_641235863_n 13936865_285803325117219_786114738_n 13936963_285803395117212_2007408713_n 13937003_285803328450552_1934086178_n 13940966_285803385117213_993291668_n 13942283_285803375117214_894121964_n 13942287_285803338450551_1695944890_n 13942345_285803335117218_549843638_n 13942513_285803368450548_1212462060_n 13942549_285803271783891_307405135_n 13942552_285803398450545_291349512_n 13942642_285803281783890_2015101405_n (1) 13942642_285803281783890_2015101405_n 13942657_285803391783879_586124572_n 13942666_285803295117222_891358519_n 13956844_285803291783889_1955358942_n 13957035_285803355117216_1375410674_n 13957464_285803358450549_1724787142_n 13957497_285803318450553_1153408794_n 13957638_285803321783886_1389653397_n 13988675_285803268450558_975020440_n 13988706_285803298450555_1225486181_n 13988900_285803288450556_954424584_n

 

PORTAL PEDRO GUIMARÃES

Morre Cesino Bernardino, fundador dos Gideões Missionários da Última Hora

Morre Cesino Bernardino, fundador dos Gideões Missionários da Última Hora

O pastor Cesino Bernardino, 81 anos, conhecido por ter fundado os Gideões Missionários da Última Hora, é chamado por muitos de “Pai de missões”. No final de junho, após ter realizado uma cirurgia, ele entrou em coma profundo.

Foram feitas diversas campanhas de oração lideradas pelo seu filho, pastor Reuel Bernardino, na expectativa de um milagre. Cesino tinha sérios problemas nos rins e nos pulmões.

Na tarde deste sábado (30) ele entrou em óbito, após passar mais de um mês na UTI do hospital Santa Catarina, em Blumenau.

A Convenção de pastores do estado de Santa Catarina emitiu nota oficial, anunciando que o funeral do líder pentecostal será no pavilhão dos Gideões Missionários neste domingo. O sepultamento ocorrerá na segunda-feira, dia primeiro de agosto.

Desde o anúncio do falecimento, as redes sociais foram tomadas de mensagens de condolências de pastores, líderes evangélicos e políticos. O presidente da CGADB, pastor José Wellington Bezerra da Costa, manifestou seu pesar, bem como o pastor Samuel Câmara, presidente da Assembleia de Deus em Belém. O deputado federal pastor Marco Feliciano (PSC/SP) escreveu um texto no Facebook onde chamou Cesino de “herói da fé”.

Pastor fez história

Os GMUH surgiram no final da década de 1970, idealizado por Bernardino, recém chegado para assumir a Assembleia de Deus em Camboriú, Santa Catarina. Devido às grandes dificuldades financeiras da congregação, ele iniciou uma campanha de oração para que Deus o orientasse.

Segundo a revelação dada aos membros da igreja, que faziam reuniões de oração em suas casas, anunciou-se que a pequena cidade se tornaria referência para o país. Seguindo a tradição pentecostal, o pastor Cesino pregava constantemente em sua igreja e nas cidades vizinhas sobre o batismo no Espírito Santo.

Logo, ele reuniu uma equipe que, compartilhando de sua visão começou a preparar encontros de avivamento. No início da década de 1980, Bernardino realiza um congresso para os membros da igreja de Camboriú, o 1º Encontro de Missões, na igreja sede.

Na ocasião, foi comissionada a primeira missionária do ministério, enviada para a Argentina. Em pouco tempo surgiram outros. Criou-se uma tradição, que continua até hoje de realizar a cada mês de abril um evento similar em Camboriú.

Em 2016, celebrou-se o 34º Encontro dos Gideões, considerado o maior evento do tipo no mundo. Seguindo um crescimento contínuo com o passar dos anos, o encontro sempre reúne pessoas de todo o Brasil e também exterior.

De acordo com a organização do evento, cerca de 150 mil pessoas participam do encontro.

 

 

 

 

fonte:gospel prime