Zé Filho recebe o pré-candidato ao Governo Luciano Nunes

O ex-governador e Presidente da Federação das Indústrias do Piauí (FIEPI), Zé Filho, recebeu o Deputado Estadual e pré-candidato ao Governo do Piauí, Luciano Nunes (PSDB). O ex-governador Freitas Neto também participou do encontro, os líderes e articuladores da oposição, conversaram sobre o cenário politico piauiense e fizeram algumas projeções para as eleições de 2018.
Zé Filho é pré-candidato a Deputado Estadual e mantém uma agenda intensa de visitas e encontros em todo o Estado, ainda sem partido o ex-governador ainda mantém grande força política. O Deputado Luciano Nunes esteve visitado alguns dos grandes colégios eleitorais como Parnaíba (onde o Prefeito é Mão Santa, tio de Zé Filho) e Piripiri.
Roberto William

Luciano Nunes pode ser candidato ao governo pelo PSDB

O nome do deputado estadual Luciano Nunes (PSDB) está sendo cotado para ser candidato a governador do Piauí pelo grupo da oposição ao governo estadual. O anúncio foi feito, durante o final de semana, pelo ex-governador Wilson Martins (PSB). O parlamentar tucano declarou ter ficado muito satisfeito em ter o seu nome lembrado. Mas, defende a candidatura do prefeito de Teresina Firmino Filho (PSDB).

Luciano Nunes considera que os tucanos têm o melhor candidato da oposição para disputar a cadeira do Poder Executivo. Para o deputado do PSDB, Firmino Filho é mais experiente e pretende lutar e trabalhar para que o prefeito de Teresina aceite disputar a eleição para governador do Piauí.

Ele avalia que ninguém é candidato de si próprio e é necessário ter resposta popular para disputar uma eleição majoritária. Porém, garante que o seu nome está a disposição do partido para esta missão. No entanto, Luciano Nunes lembra que o próprio ninho tucano tem o nome do ex-governador Freitas Neto que pode ser candidato ao Palácio de Karnak. Luciano Nunes lembrou, ainda, do ex-senador João Vicente Claudino como um possível nome da oposição para ser candidato ao cargo de governador do Piauí.

Todavia, o deputado Luciano Nunes deixa bem claro que a intenção do PSDB é que Firmino Filho aceite disputar a eleição este ano. “Nós estamos trabalhando para ter Firmino Filho com candidato”, declarou.

O deputado Luciano Nunes é considerado por muitos políticos como um nome que tem facilidade de conversar com todos os grupos políticos e é um político novo. O ex-governador Wilson Martins considera o tucano jovem, inteligente, respeitado pelos colegas na Assembleia e tem o reconhecimento da população.

Gestores cobram liberação do Auxílio Financeiro para os Municípios

Gestores cobram liberação do Auxílio Financeiro para os Municípios

Foto: Reprodução

A Confederação Nacional dos Municípios (CNM) emitiu nota manifestando inconformidade aos encaminhamentos anunciados pelo Governo Federal em relação ao Auxílio Financeiro aos Municípios de 2017.

“É com muita indignação que recebemos a informação de que o repasse pactuado e anunciado repetidas vezes, não será repassado no exercício de 2017. Fomos surpreendidos pela informação da Casa Civil de que os Ministros do Planejamento e da Fazenda se negam a assinar a Medida Provisória e comunicam que irão editar uma medida provisória criando um Programa Especial de Auxílio aos Municípios, que deverá passar pelo Congresso Nacional, fazendo com que este recurso chegue efetivamente nos cofres municipais somente em fevereiro ou março de 2018”, diz o comunicado.

O repasse foi anunciado em novembro deste ano pelo presidente Michel Temer. Desse valor, aproximadamente R$ 106 milhões seriam destinados aos 224 municípios piauienses para serem aplicados em demandas prioritárias.

Segundo o presidente da APPM, prefeito Gil Carlos, os gestores piauienses se mostram preocupados com a situação, uma vez que já foram adotadas diversas medidas para garantir dinheiro em caixa e fechar as contas do ano. Entre as medidas destacam-se, a redução do quadro de pessoal, de salários dos cargos em comissão, de secretarias, de hora extra, de horário de funcionamento da Prefeitura.

“O governo federal não se manifestou em nota oficial, mas não é mais possível pagar esse ano. Os municípios se planejaram, fizeram o seu financeiro e pagamentos tendo como possibilidade essa receita. Então isso vai implicar em restos a pagar, os municípios não terão como pagar fornecedores e às vezes salários, comprometendo o orçamento de 2018, que nós imaginamos que não será um ano fácil também. O governo já anuncia um reajuste do piso nacional do magistério que é importante, que deve ser valorizado, o salário dos professores, mas impacta diretamente na folha de pagamento dos municípios e esperamos que reajuste do Fundeb seja compatível na mesma proporção do aumento do piso, porque não tem acontecido isso”, explicou.

“Nós vamos propor em janeiro uma reunião com a bancada do Piauí para nós debatermos a situação dos municípios e buscar apoio dos nossos parlamentares e vamos fazer isso em todo o Brasil, reuniões em todos os estados para depois fazermos uma grande movimentação em Brasília para chamarmos atenção sobre a situação critica que se encontra os municípios do Brasil”, concluiu Gil Carlos.

Júlio César gasta quase meio milhão de cota parlamentar em 2017

O deputado Júlio César (PSD) vem se destacando ao longo de 2017 em relação a quantidade de gastos de cota parlamentar entre os deputados federais piauienses. O portal da transparência registra agora em dezembro R$ 941 mil, o que é quase o triplo dos gastos do deputado Assis Carvalho, o que menos gastou no ano dentre os deputados do estado.

  • Foto: Facebook/Júlio CésarDeputado Federal Júlio César (PSD-PI)Deputado Federal Júlio César (PSD-PI)

No mês de setembro em matéria divulgada pelo ViagoraJúlio César registrava R$ 365 mil em despesas. Ou seja, nos três meses finais de 2017, o deputado gastou mais de meio milhão de reais, mantendo-se líder em despesas de cota parlamentar no Piauí.

O mês mais caro para os cofres públicos, em relação ao Júlio César, foi o mês de fevereiro com R$ 55 mil. A maior parte desse valor foi gasto com locação ou fretamento de aeronaves e de veículos automotores, emissão de bilhete aéreo e compra de combustíveis.

Vejas todos os gastos mensais do deputado Júlio César até dezembro de 2017. Os valores ainda podem aumentar se o parlamentar ainda fizer mais prestação de contas.

Data

Valor

Janeiro/2017

R$ 38.507,81

Fevereiro/2017

R$ 55.306,36

Março/2017

R$ 53.472,88

Abril/2017

R$ 50.366,63

Maio/2017

R$ 29.847,23

Junho/2017

R$ 47.031,76

Julho/2017

R$ 48.212,75

Agosto/2017

R$ 43.323,25

Setembro/2017

R$ 48.762,14

Outubro/2017

R$ 40.236,97

Novembro/2017

R$ 28.843,90

Dezembro/2017

R$ 5.918,94

Viagora

Dezoito prefeitos do Piauí migram para o PP de Ciro Nogueira

O senador Ciro Nogueira está ampliando a força do Partido Progressista (PP), no interior do Piauí. Na eleição de 2016, a sigla conseguiu eleger 41 prefeitos e, na manhã desta segunda-feira (04), filiou mais 18 gestores municipais. Entre eles, o prefeito Júnior Percy -Buriti dos Lopes e Francisco Apolinário – Bom Princípio

Desde a eleição passada, até as novas filiações ocorridas nos últimos meses, o PP conseguiu reunir 58 prefeitos, tornando-se o maior partido do estado. Comandar prefeituras no interior do estado é essencial para que o partido tenha poder na eleição de 2018. Onde Ciro Nogueira deve buscar a reeleição e ajudar também o governador Wellington Dias.

  • Foto: ViagoraFiliações do PP no PiauíFiliações do PP no Piauí

A força do partido também deve ser levada em conta, na queda de braço com o PMDB de Themístocles Filho, que busca a vaga de vice-governador, atualmente ocupada por Margarete Coelho (PP).

O prefeito Júnior Carvalho, de Demerval Lobão, deixou o PMDB para filiar-se ao Progressista. De acordo com ele, a mudança visa mais recursos para o município.  “O senador Ciro Nogueira está trazendo emendas para o município, está ajudando a cidade. E ele me disse que poderia ajudar ainda mais se eu estivesse no partido dele, então para a melhoria da cidade, eu resolvi me filiar ao PP”, explicou o prefeito.

Os prefeitos filiados hoje são:

Francisco Apolinário – Bom Princípio

Francieudo carvalho – Boa Hora

Luís Martins – Alvorada do Gurguéia

Cristóvão Dias – São Miguel do Fidalgo

Aurélio Sá – Landre Sales

Paulo Lustosa – São Gonçalo do Gurguéia

Dr. Macaxeira – Redenção do Gurguéia

Valdecir Júnior – Curimatá

Robertinho – Miguel Leão

Junior Perci – Buriti dos Lopes

Cidelton Pinheiro – Santa Luz

Onélio Carvalho – Sebastião Barros

Gongo – São João da Fronteira

Antônio Chico – Nova Santa Rita

Francisco Eudes – Isaias Coelho

Raimundo Ney – Anísio de Abreu

Junior Carvalho – Demerval Lobão

Betinho – Riacho Frio

“Não é com chantagem que se conquista espaço na política”, diz Margarete

Vice-governadora classificou a fala do deputado João Madison como intempestiva e não acredita que o PMDB tome este tipo de postura.

A vice-governadora Margarete Coelho (PP) reagiu às declarações do deputado estadual João Madison, de que o PMDB pode votar em Wilson Martins (PSB) para o Senado caso Ciro Nogueira (PP) continue lutando para que o PP mantenha o espaço de vice na chapa de Wellington Dias (PT), nas eleições do ano que vem. Para Margarete Coelho, não é com chantagem que se conquista espaços na política.

“Eu acho que espaço político é conquistado com trabalho, com dignidade, alianças se faz com convergência, não é com base em chantagem ou ameaças”, argumenta a atual vice-governadora, acrescentando que a fala do deputado João Madison é intempestiva e não acredita que o PMDB tome este tipo de postura.

Margarete Coelho acrescentou ainda que os partidos devem reconhecer Ciro, ano que vem, em consequência das realizações que o senador tem feito pelo Piauí. “Eu vi o prefeito Firmino Filho airmando que 80% das obras que vem sendo realizadas em Teresina tem a mão do senador Ciro Nogueira. Ele tem serviço prestado. Eu viajo e sei que os municípios estão recebendo obras através da articulação dele, que é o prin cipal articulador do Piauí com o governo federal. É por isso que devem votar nele, pelo seu trabalho”, pontuou Margarete Coelho, ressaltando a inluência de Ciro na aquisição de ambulâncias para prefeituras, obras de infraestrutura, mobilidade, entre outras áreas.

Ainda comentando sobre o espaço de vice na chapa majoritária governista ano que vem, Margarete airma que o PP tem como prioridade um projeto para o estado que prevê a reeleição de Wellington Dias (PT) em 2018 e por isso, a sigla não vai causar problemas que prejudiquem as articulações do governador.

O Dia

PMDB ameaça não apoiar Ciro se perder vaga de vice em 2018

O PMDB ameaçou nesta terça-feira (28) não apoiar a reeleição do senador Ciro Nogueira, caso o partido não fique com a vaga de vice na chapa do governador Wellington Dias em 2018. O presidente nacional do Progressistas defende uma pesquisa para escolher o nome. A proposta foi rechaçada no PMDB, que disse já ter acordo com o governador e o nome para ocupar o posto: o do presidente da Assembleia Legislativa, Themístocles Filho.

Ontem, a executiva do partido se reuniu em Teresina e bateu o martelo em torno do nome de Themístocles. “Todos os deputados hipotecaram solidariedade e confiança no Themístocles. Não tem outra posição no partido. Agora, se em março ou abril acontecer algo que não seja isso, aí o PMDB vai se reunir para tomar outra decisão”, afirmou o líder do PMDB na Alepi, deputado João Madison.

O plano B do PMDB, caso não fique com a vaga de vice, é apoiar o ex-governador Wilson Martins (PSB) para senador.

“O PMDB quer votar no senador Ciro, agora se o que estão dizendo for verdade, que o senador Ciro está colocando empecilho para que o PMDB participe da chapa majoritária, o PMDB vai tomar uma decisão também de não apoiá-lo numa candidatura a senador. Esta foi a decisão. Ele é meu amigo pessoal, eu quero votar nele, e espero que isso não seja verdade. Se for verdade vamos apoiar outro candidato. Temos aí o Wilson Martins que é um amigo também e não vejo motivo para o PMDB apoiar alguém que não quer o PMDB na chapa”, declarou.

Nesta quarta-feira, o presidente do PMDB, Marcelo Castro, deve se reunir com o governador Wellington Dias em Brasília para tratar do assunto.

Hérlon Moraes

Congresso Nacional vai custar R$ 1,2 milhão por hora em 2018

O Congresso Nacional tem orçamento de R$ 10,5 bilhões, previsto para 2018. O investimento equivale a R$ 1,2 milhão por hora e é superior às dotações destinadas aos 40 ministérios do Governo Federal, inclusive do Ministério dos Transportes, que terá verbas de 7,7 bilhões no próximo ano.

Conforme o levantamento do Contas Abertas, o valor está previsto no projeto de Lei Orçamentária, porém nenhuma emenda parlamentar foi apresentada para compor o orçamento do Congresso. Serão destinados R$ 6,1 bilhões para a Câmara dos Deputados e R$ 4,4 bilhões para o Senado.

  • Foto: Saulo CruzPalácio do Congresso Nacional.Palácio do Congresso Nacional.

Com maior orçamento, a Câmara possui, além dos 513 deputados, 3.344 servidores concursados, do cargo efetivo e 12.456 servidores de cargos comissionados, nomeados por autoridade competente. Desse total, 10.883 são do secretariado parlamentar e 1.573 são de natureza especial.

Assim, o pagamento do pessoal e de encargos sociais consome R$ 4,9 bilhões dos cofres públicos, representando 80,3% do orçamento. O resto das despesas, R$ 1,1 Bilhão correspondem aos gastos com a manutenção das atividades dos órgãos, tais como material de consumo, material de distribuição, despesas de locomoção, entre outras. Ainda R$ 127,7 milhões relativos a obras e compra de equipamentos.

Já no Senado, apesar do orçamento um pouco mais modesto, a situação não é diferente. 84% dos R$ 4,4 bilhões são destinados ao pagamento do quadro de funcionários, o que equivale a R$ 3,7 bilhões. As despesas correntes consumirão R$ 637,6 milhões e os investimentos totalizam R$ 49,7 milhões.

Zé Filho prestigia novas filiações do Solidariedade em Parnaíba


O ex-governador e presidente da FIEPI, Zé Filho, prestigiou, na noite desta terça-feira (14), em Parnaíba, o ato de filiação dos novos membros do Partido Solidariedade (SD), acompanhado do presidente do partido, o prefeito Mão Santa e a primeira-dama Adalgisa Carvalho Moraes Souza. A cerimônia foi realizada na residência da suplente de vereadora Doya, no bairro São Francisco, e reuniu autoridades, lideranças políticas e muitos populares.

Na ocasião, a anfitriã anunciou a filiação no partido e os motivos que a levaram para a nova sigla. Doya que disputou uma vaga para a Câmara Municipal de Parnaíba pelo Partido Social Liberal (PSL), na última eleição, passou a engrossar as fileiras e a defender seu novo partido. Ela disse que se sente em casa e em família ao lado de Mão Santa. “Prefeito, vamos reunir mais filiados e mostrar a força do nosso partido”, declarou.


Ao chegar no evento, Zé Filho foi recebido carinhosamente pela população que estava prestigiando a filiação do SD, e garantiu que Parnaíba vive um novo tempo na política. “ O que estamos vendo hoje é o resultado da determinação de um prefeito que honra a confiança recebida pelo seu povo. Mão Santa tem feito muito mais do que reformar e construir obras em Parnaiba. O maior legado do seu governo é o resgate da autoestima do parnaibano e a aproximação com os menos favorecidos”, disse Zé Filho sobre o perfil do gestor ao longo da sua carreira política.

Durante discurso, o ex-governador declarou seu apoio ao ato político de ingresso dos novos filiados, e agradeceu ao presidente do Solidariedade, o prefeito Mão Santa, pelo convite para sua filiação. “Podem ter certeza que estou analisando com muito carinho”, concluiu Zé Filho, que atualmente está sem partido.



A festa continuou com música ao vivo e a presença dos vereadores que também prestigiaram o evento, Carlson Pessoa, Joãozinho do Transito e Bernardo Lima.

 

Por Monica Pessoa

João Henrique defende candidatura do PMDB em Sã João e São Raimundo Nonato

SRN1

O vice-presidente regional do PMDB no Piauí, João Henrique de Almeida Sousa, voltou a discutir a candidatura própria da sigla a governador com dirigentes do partido. A tese de candidatura própria é defendida por João Henrique, que tem percorrido o Estado em reuniões com presidentes e delegados do PMDB, pedindo apoio para o PMDB lançar candidato próprio. Neste sábado (11), ele esteve em São João do Piauí e São Raimundo Nonato, região Sul do Piauí. Em São Raimundo Nonato, o atual presidente nacional do Sesi (Serviço Social da Indústria) disse que o PMDB tem adotado estratégias equivocadas ao apoiar o Governo, prática que, segundo ele, exclui e isola as bases interioranas do partido.

Para João Henrique, a candidatura própria é uma forma de fortalecer o PMDB e devolver ao partido a relevância eleitoral que ele teve no passado. “O PMDB já teve 49 prefeitos no Piauí; hoje tem apenas 21. O PMDB sempre foi de luta, de briga, e vocês, que fazem o partido no interior, sabem que a candidatura própria é uma forma de ganharmos força e de fortalecermos as bases”, disse ele aos dirigentes do partido de São Raimundo Nonato e municípios da região. “Time que não entra em campo, não apenas se declara derrotado antecipadamente, como perde torcida”, completou.