Os Profissionais da enfermagem fazem greve e atendimento fica comprometido até 31 de dezembro

Profissionais da enfermagem paralisaram em três cidades do Piauí deste a última quinta-feira (24). Teresina, Parnaíba e Campo Maior estão com os serviços de enfermagem comprometidos até o dia 31 de dezembro. A categoria reivindica a Gratificação de Incentivo á Melhoria á Saúde. De acordo com João Sérgio, líder da paralisação, o valor é contraditório.

20151229032506_(1)

 

“Eles usam esse incentivo para pagar plantão extra de médico com um valor contraditório e enquanto isso eles não pagam para a equipe de enfermagem. O prazo para a publicação de um decreto que autoriza o pagamento era 11 de outubro e o governo não deu resposta à categoria, que votou em assembleia pela paralisação”, explicou o líder do movimento grevista.

Segundo João, o período escolhido foi o de final de ano, exatamente por conta do grande número de pessoas que viajam para o litoral, o que aumenta a procura por atendimento no Hospital Estadual Dirceu Arcoverde. Com a greve apenas os serviços de urgência e emergência ficam garantidos pelos enfermeiros.

Denúncia

Segundo o líder do movimento, outro problema sofrido pelos profissionais envolve a falta de material básico para o trabalho. “Só isso já nos dá o direito de paralisar pela questão ética, mas já cobramos o ano inteiro e agora decidimos paralisar para ver se começamos um ano melhor”, declarou João.

Segundo informações publicadas pelo site Proparnaíba, uma família chegou a comprar o material usado por um paciente internado no hospital. O documento fiscal mostra a compra de uma bolsa coletora de urina, que deveria ser disponibilizada pelo hospital.

O Cidadeverde.com tentou chegou a falar com a diretora de enfermagem do Hospital Dirceu Arcoverde, que preferiu não falar e até o momento aguarda um posicionamento do hospital.

Rayldo Pereira
rayldopereira@cidadeverde.com

POPULAÇÃO SOFRE COM A FALTA DO HOSPITAL

20151204_091637
HOSPITAL ESTADUAL DR. MARIANO LUCAS DE SOUSA-FOTO:portalpedroguimaraes.com.br

 

Hospital de Buriti dos Lopes há anos fechado e população sofre com falta do hospital. Comenta-se que está tudo pronto para inauguração das novas instalações,mais só será entregue ao povo quando estiver próximo a eleição. Seria  uma possível jogada política?

Com a falta do Hospital da cidade a população só conta com o Pronto socorro, cujo o mesmo, á varias reclamações como a falta de medicamentos e  materiais  para alguns procedimentos como curativos e injeções, até mesmo álcool para ajudar na aplicações de injeções falta e segundo a população só tem dipirona no posto de saúde. Por esses fatos a população tem que se deslocar para cidade vizinha Parnaíba para atendimento no Hospital Dirceu.

Fonte: portalpedroguimaraes.com.br

NA REDE ESTADUAL DO PIAUI, ENFERMEIROS ENTREM EM GREVE E FAZEM PROTESTOS

DGFDG

Os trabalhadores em enfermagem do Hospital Estadual em Parnaíba e de outros hospitais regionais do interior do Piauí estão entrando em greve geral a partir desta quinta(24).

O comunicado da paralisação foi encaminhado na tarde de terça (22) à superintendente Regional do Trabalho e Emprego no Estado Paulo Mazullo, pelo presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Enfermagem do Piauí (Senatepi), João Sérgio.

No documento o sindicalista argumenta que a decisão foi tomada em assembleia geral e após expirar à meia noite de ontem o prazo para o Governo do Estado pagar a GIMAS aos trabalhadores de todo o Estado conforme acordo estabelecido pelo TCE-PI e determinada pelo Ministério Público Estadual.

A greve vai atingir justamente um período de maior movimentação nos hospitais da rede pública.

FONTE:proparnaiba.com

As Jovens que se beijarem no culto e sob ordem de Feliciano foram presas, perdem ação na Justiça

ativistas-gays-beijoA Justiça decidiu negar o pedido de indenização feito por duas jovens que foram presas no litoral paulista sob ordem do pastor Marco Feliciano (PSC-SP), após se beijarem em forma de protesto contra ele durante um culto ao ar livre.

O juiz Ivo Roveri Neto, da 2ª Vara Cível de São Sebastião (SP) negou o pedido das jovens, que exigiam indenização do pastor e deputado federal por dano moral.

Na ocasião, em setembro de 2013, Feliciano era o alvo preferido dos ativistas gays, por causa de sua eleição para a presidência da Comissão de Direitos Humanos e Minorias (CDHM). Joana Palhares e Yunka Mihura, na época com 18 e 20 anos, respectivamente, se beijaram durante o sermão e Feliciano pediu que os policiais intervissem.

“A Polícia Militar que aqui está, dê um jeitinho naquelas duas garotas que estão se beijando. Aquelas duas meninas têm que sair daqui algemadas. Não adianta fugir, a guarda civil está indo até aí. Isso aqui não é a casa da mãe Joana, é a casa de Deus”, disse o pastor, à época.

Na repercussão ao fato, a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) divulgou nota de repúdio ao pastor, por meio da Comissão Especial da Diversidade Sexual do Conselho Federal da entidade, afirmando que “declarações como estas incitam o ódio e a intolerância e promovem a discriminação por orientação sexual e identidade de gênero”.

Pouco mais de dois anos depois, a Justiça entendeu que o pastor não causou nenhum dano à dupla quando deu voz de prisão a elas, pois elas ignoraram o sentimento religioso da multidão presente.

Segundo informações do site Consultor Jurídico, o juiz considerou que as autoras apoiavam-se no direito à liberdade de expressão, mas “agiram de forma provocativa e deliberada, sem atentar para o sentimento religioso daquelas pessoas”.

Na sentença, o juiz pontuou que “o fato de o réu ter dado voz de prisão às autoras não pode ser causa de responsabilidade civil, já que a conduta das autoras, em tese, configura crime contra o sentimento religioso, previsto no artigo 208 do Código Penal”, e destacou que se houve abuso por parte dos agentes da Guarda Civil Municipal de São Sebastião no momento da prisão, a culpa não pode ser imputada a quem ordenou a prisão.

Em julho, a dupla saiu vencedora de uma ação contra a prefeitura, e receberam R$ 4 mil de indenização. O juiz Guilherme Kirschner, também da 2ª Vara, entendeu que os agentes públicos agiram corretamente a princípio ao retirá-las da multidão do evento, para manter a integridade física das próprias autoras, mas chegou à conclusão que se excederam quando as levaram para baixo do palco e as agrediram sem qualquer necessidade.

No entanto, mesmo dando ganho de causa às jovens, Kirschner também repudiou o comportamento das jovens: “As autoras, homossexuais, pretendiam fazer um manifesto contra um parlamentar por suas posições supostamente homofóbicas. Mas para isto foram a um evento de natureza eminentemente evangélica e passaram a se beijar ostensiva e provocativamente na boca. Repisa-se: não se tratou de espontânea manifestação de carinho e afeto, mas ato de repúdio ao parlamentar”, destacou o juiz.

Fonte: Gnoticias

A Marinha ajudará GDF no combate ao zika vírus, dengue e chikungunya

Treinamento de membros da Defesa Civil e de marinheiros para combater o Aedes Egypt (Foto: Marianna Holanda/G1)
Treinamento de membros da Defesa Civil e de marinheiros para combater o Aedes Egypt (Foto: Marianna Holanda/G1)

Um grupo de aproximadamente cem militares da Marinha fará até esta sexta-feira (18) treinamento com agentes ambientais em Santa Maria para ajudar no combate ao Aedes aegypti. O mosquito é o vetor da dengue, chikungunya e zika vírus.

“Faz parte das Forças Armadas, da Marinha, não apenas defender a nação, mas ajudar o país como um todo”, afirmou o comandante Odair do Nascimento. ”Essa campanha é importante porque os marinheiros vão se formar em janeiro. Eles vão se formar não apenas como combatentes, mas como cidadãos mais completos”, afirmou.

Nesta quinta-feira (17), os militares passaram por treinamento teórico e prático com agentes ambientais, com o intuito de orientar a comunidade sobre os cuidados, sintomas e prevenções das doenças.

“O objetivo é ensiná-los um pouco sobre a rotina de uma visita domiciliar”, conta o agente de vigilância ambiental, Humberto Oliveira, que fez parte do treinamento dos militares nesta manhã. Também participaram da “aula” 15 membros da Defesa Civil.

A conscientização começará em Santa Maria, mas continuará nos próximos meses por outras áereas de risco do Distrito Federal, segundo a assessoria da Marinha. Exército, Aeronáutica e Bombeiros também irão atuar em parceria com GDF pelos próximos meses.

Visitas domiciliares
No final da manhã, os marinheiros começaram as visitas domiciliares, acompanhados da agente ambiental Sebastiana de Sousa. A primeira casa visitada foi a de Joseli Queiroz, na Vila Naval, em Santa Maria.

Acompanhada dos militares, Sebastiana de Sousa explica como manter o quintal livre de mosquitos da dengue (Foto: Marianna Holanda/G1)
Acompanhada dos militares, Sebastiana de Sousa explica como manter o quintal livre de mosquitos da dengue (Foto: Marianna Holanda/G1)

“Eu já sabia sobre água nos pneus e em garrafas. O que mais me surpreendeu foi descobrir que frutas secas no chão podem ter esse perigo”, disse a professora de 45 anos. No quintal da casa, há uma abacateira com frutas caídas no chão. Os mosquitos podem depositar seus ovos na água da chuva que acumula nas cascas.

Aos 61 anos, Sebastiana trabalha há dez alertando famílias sobre os perigos do Aedes aegypti em Santa Maria. Na opinião dela, um dos maiores problemas nessas ações é que os agentes encontram muitas casas fechadas.

“Às vezes, as pessoas trabalham o dia todo e chegamos lá e não podemos visitar a casa. Se os donos sabem que nós vamos passar na rua, podem tentar articular horários. No mais, aconselho as pessoas a não jogarem lixo no chão ou em terrenos baldios, sempre é um foco de dengue”, advertiu a senhora.

Fonte: Do G1 DF

CRO suspende atendimentos em 3 consultórios odontológicos no litoral

fiscalizacao do cro

A suspensão se deu nas cidades de Luís Correia, Cajueiro da Praia e Ilha Grande, no litoral piauiense. Foram realizadas fiscalizações nos consultórios odontológicos das unidades básicas de saúde dos municípios e três deles foram fechados.

Conselho realiza fiscalização e suspende atendimento em três consultórios odontológicos do Piauí. A suspensão se deu nas cidades de Luís Correia, Cajueiro da Praia e Ilha Grande, no litoral piauiense. Foram realizadas fiscalizações nos consultórios odontológicos das unidades básicas de saúde dos municípios e três deles foram fechados.

Segundo o odontólogo Gerson Bezerra, fiscal do CRO/PI, foram suspensos os atendimentos nos consultórios odontológicos da Unidade Básica de Saúde Sede (UBS Sede), do posto de Saúde Mão Santa e da Unidade Básica de Saúde Barro Vermelho (UBS Barro Vermelho), todos localizados na cidade de Ilha Grande. “Foi constatada a falta de condições para o atendimento de pacientes nestes consultórios que tinham, entre outras coisas, infiltração nas paredes, goteiras sobre a cadeira do odontólogo, tubulação entupida e com vazamento em alguns pontos”, afirmou.

Todos os pontos observados pelos ficais do CRO/PI dizem respeito à biossegurança nos consultórios, ponto chave que pode prevenir doenças graves nos pacientes e profissionais nos consultórios. “O consultório odontológico é um ambiente altamente contaminado seja por bactérias vindas da boca do paciente, pelas mãos dos cirurgiões dentistas e assistentes. É uma atividade que expõe os pacientes, a equipe, o próprio cirurgião dentista e, indiretamente, seus familiares, às mais diversas doenças infecciosas. E quando há falhas todos os envolvidos estão à mercê de infecções cruzadas”, explicou Gerson Bezerra.
Os consultórios suspensos terão um prazo estipulado pelo Conselho Regional de Odontologia para se adequar as regras de biossegurança e uma nova fiscalização será realizada pelo CRO/PI para que os mesmos sejam liberados. Neste intervalo de tempo, os odontólogos ficam à disposição da Secretaria Municipal de Saúde para que sejam alocados em outras unidades e possam dar continuidade aos atendimentos, sem prejudicar a população.

Entenda riscos que busca pela barriga negativa oferece à saúde

barriganegativa1

Última moda entre os frequentadores assíduos das academias, a barriga negativa começou a ser cultivada pelas celebridades e logo se tornou febre entre os que buscam o corpo perfeito. Essa peculiar anatomia atribuída à região abdominal é caracterizada pela formação de uma concavidade na área que fica entre os ossos ilíacos (localizados na parte inferior da barriga), que se tornam mais destacados, e as costelas aparentes.

O endocrinologista Filippo Pedrinola, membro da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia conta que para ter esse formato de abdômen é preciso apresentar baixo percentual de gordura corporal, músculos abdominais pouco desenvolvidos e o fator genético para a formação e desenvolvimento dos ossos do quadril mais proeminentes. “Sendo assim, uma pessoa que não tem biótipo e genética para barriga negativa, mesmo com dieta e atividade física não conseguirá chegar ao resultado desejado”, explica.

Será que vale mesmo a pena lutar por essa curvatura no abdômen? Avisamos que a briga com a balança será difícil, a alimentação restrita e o suor na academia abundante. Mas o pior é que o corpo sentirá de maneira muito intensa todos esses abusos. “O que ocorre nessa situação é que o organismo entra em estresse e esgotamento físico, podendo causar problemas de saúde como diminuição da resistência imunológica, alterações de ciclo hormonal, interrupção do ciclo menstrual, distúrbios alimentares, entre outras patologias”, explica Filippo Pedrinola. Confira a seguir todos os problemas de saúde que podem surgir no esforço para conseguir a barriga negativa.

Baixa porcentagem de gordura corporal e desnutrição

Para obter uma barriga negativa é necessário diminuir o percentual de gordura corporal abaixo dos níveis aceitáveis, isso significa que este valor será inferior a 10%. O endocrinologista Filippo Pedrinola conta que esse baixíssimo índice pode acarretar danos ao organismo em função dos meios usados para conquistá-lo. “Na maioria das vezes a restrição alimentar é a primeira etapa após a decisão de alcançar a barriga negativa, a pessoa chega a fazer apenas duas refeições por dia comendo alimentos que não fornecem aporte nutricional necessário”. Na desnutrição, os problemas de saúde podem variar desde uma anemia, por falta de ferro no organismo, devido à limitação de nutrientes que essa pessoa ingere, até problemas mais graves como coma e morte por anorexia se a situação não for identificada e revertida.

Massa muscular pouco desenvolvida

A associação de alimentação deficiente e exercícios para emagrecimento em excesso causará a perda de massa muscular. A ausência de outras fontes de energia para a atividade física, como a gordura e a glicose, fará com que o corpo lance mão do glicogênio – molécula que faz parte da composição do músculo – para conseguir dar andamento à atividade física. “O resultado é que o praticante perderá massa muscular, inclusive na região abdominal”, explica Filippo Pedrinola. “A perda de massa muscular e a baixa quantidade de gordura corporal – associadas a padrões genéticos – são os fatores que permitirão a formação da barriga negativa”. Vale lembrar que músculos fortes não são apenas uma questão de estética: eles sustentam o corpo, reforçam as articulações e são essenciais para evitar dores e problemas de saúde, principalmente no campo da ortopedia, como hérnias de disco e fraturas.

Anorexia, bulimia e depressão

“A persistência em conseguir a barriga negativa pode virar uma obsessão e único objetivo da vida de um indivíduo e, com isso, vir a se expressar em transtornos psicológicos e distúrbios alimentares, como depressão, anorexia, bulimia”, explica o endocrinologista Filippo Pedrinola. “Para ter saúde adequada é essencial ter uma boa imagem de si e estar em equilíbrio, o que não ocorre nesses casos”. O especialista recomenda que parentes e amigos fiquem atentos aos quadros que envolvam exercícios extenuantes e dietas muito rigorosas, seja a meta a barriga negativa, o emagrecimento ou a busca por um padrão de beleza inatingível. Descobrindo cedo esse comportamento é possível encaminhar a pessoa para o tratamento adequado e revertendo o problema antes que surjam consequências mais graves.

Parada da ovulação e da menstruação

O endocrinologista João Eduardo Salles, vice-presidente da Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade e da Síndrome Metabólica (ABESO), explica que chegar ao baixo peso significa um grande risco para a atividade hormonal. “A mulher terá grandes chances de deixar de ovular, portanto menstruar, em função da baixa liberação do hormônio leptina”, explica. “A leptina é produzida pelo tecido adiposo e seus níveis caem drasticamente em resposta ao jejum”. Uma das funções da leptina é a estimulação ovariana, logo, mulheres com baixo peso podem ter a ovulação e a menstruação interrompidas. A gestação nesse caso é impossível.

Diminuição das mamas

O endocrinologista João Eduardo explica que as mamas são compostas, principalmente, por glândulas e gordura. A magreza excessiva causará a diminuição destas duas estruturas mamárias. O hormônio estrogênio é derivado do colesterol, um tipo de gordura, logo, mulheres com baixo percentual de gordura terão níveis igualmente reduzidos de colesterol, a ponto de inibir as glândulas mamárias. “Para que os seios cresçam ou mantenham seu tamanho, eles precisam ser continuamente estimulados pelos hormônios femininos”, explica o endocrinologista João Eduardo. “Sem esse estímulo, diminuído em mulheres com baixo peso, o tecido mamário ficará atrofiado”. O especialista explica ainda que a redução de gordura corporal também será percebida nesta região: os seios ficaram menores e mais flácidos, uma vez que perderão boa parte do material responsável pela sustentação, a gordura.

Favorece a osteoporose

A formação dos ossos nas mulheres é dependente do estrogênio, hormônio que age auxiliando na incorporação de cálcio, no desenvolvimento e na manutenção da massa óssea. O baixo peso corporal pode diminuir os níveis de estrogênio. “O pico de massa óssea entre as mulheres acontece até os 35 anos, dos 35 aos 45 anos a mulher apenas manterá a massa óssea, em seguida ela será diminuída”, explica o endocrinologista João Eduardo. “Portanto, pode ser que a mulher muito magra não esteja sentindo os efeitos do baixo peso sobre os ossos agora, porém mais tarde eles aparecerão como osteopenia – diminuição primária da massa óssea – e osteoporose, quando os ossos já estão fracos e mais suscetíveis a fraturas”. A recomendação do endocrinologista João Eduardo é manter-se sempre dentro do índice de massa corpórea considerado normal: entre 18,5 e 25 para adultos.

Desvios posturais e dores na coluna

O endocrionologista Filippo Pedrinola explica que enfraquecimento abdominal, desvios posturais e dores na coluna também podem ser complicações da barriga negativa. A musculatura tem a função de proteger e dar sustentação aos ossos. O músculo abdominal fraco não consegue sustentar a coluna, com isso, ela fica mais suscetível a desenvolver curvaturas anormais – como a hiperlordose e a escoliose – a adotar posturas viciosas, como manter-se curvado na cadeira do trabalho e até a desenvolver problemas como hérnia de disco.

Fonte: Minha Vida

Descubra alguns motivos para incluir o feijão na dieta

feijao_capa1

Ele faz falta no prato dos brasileiros e é o primeiro a despertar saudade no caso de quem visita um país do exterior. Não bastante o sabor delicioso e a variedade de combinações possíveis no preparo, o feijão ainda é muito bem visto por especialistas da saúde. No relatório do Sistema Vigitel do Ministério da Saúde, o feijão aparece na lista de fatores de proteção contra câncer e outras doenças crônicas. Já o Guia Alimentar para a População Brasileira (BRASIL, 2005) recomenda a ingestão de, pelo menos, uma porção diária de feijão ou outra leguminosa, como ervilha seca, lentilha e soja. A boa reputação deve-se à grande quantidade de nutrientes que o alimento possui, resultando em benefícios para a dieta e para o corpo todo. Quer saber o que seu corpo ganha a cada porção? Os especialistas contam com detalhes.

Fonte de proteínas

As proteínas vegetais que o feijão fornece são formadas por aminoácidos chamados lisinas. “Como o corpo humano não consegue produzir esse tipo de proteína sozinho, é preciso incluir o feijão e outros alimentos na dieta que forneçam esse nutriente”, afirma a nutricionista Juliana Menezes, de São Paulo. Ela conta que as proteínas são essenciais para a saúde dos tecidos do corpo (osso, pele, órgãos e músculos).

No entanto, a nutróloga e reumatologista Sylvana Braga, de São Paulo, lembra que o feijão não pode ser a única fonte de proteínas da dieta. “As melhores fontes do nutriente são carnes em geral e laticínios”, afirma. De acordo com a Tabela de Composição Química dos Alimentos da Unifesp, 100 gramas de feijão cozido apresentam 8,6 gramas de proteína. Já 100 gramas de peito de frango cozido possuem 31 gramas, uma diferença e tanto!

Ajuda a prevenir cáries

O casamento de arroz e feijão proporciona uma dose diária de flúor que pode ajudar no controle de cáries nos dentes, segundo um estudo da Faculdade de Odontologia de Piracicaba da Unicamp (SP). Os pesquisadores acreditam que esses alimentos absorvem o flúor presente na água tratada que costumamos utilizar para o preparo. Esse mineral fica concentrado na saliva de quem consome o arroz e o feijão, aumentando a proteção dos dentes.

Controle do peso

Inserir o feijão em uma dieta balanceada pode ajudar no emagrecimento. É preciso moderação no consumo, já que o alimento é rico em carboidratos e pode engordar – 100 gramas apresentam 22 gramas do nutriente, semelhante à quantidade encontrada no arroz (28 gramas). Mas o feijão leva vantagem por ter boas quantidades de fibras: 6,4 gramas na mesma porção. “Depois de ingeridas, essas fibras formam um gel e permanecem mais tempo no estômago, aumentando a sensação de saciedade”, explica Juliana Menezes. Dessa forma, você vai demorar mais para sentir fome.

Contra o intestino preso

As fibras são famosas por aumentarem o volume das fezes, dando um empurrãozinho para o intestino funcionar melhor. A nutricionista Juliana ainda traz mais um benefício: as fibras solúveis presentes no feijão servem de base para a formação de substâncias chamadas ácidos graxos de cadeia curta (AGCC). “Eles fornecem energia para que as células do intestino desempenhem bem as suas funções”, afirma.

Diabetes

Esta é mais uma vantagem das fibras do feijão: fazer com que a glicose presente nos alimentos seja absorvida aos poucos. “Dessa forma, não há picos de hiperglicemia e o paciente de diabetes consegue manter a glicemia estável por mais tempo”, explica Juliana Menezes.

Previne câncer e doenças degenerativas

“O feijão é fonte de compostos fenólicos, substâncias antioxidantes que ajudam a reduzir o risco de alguns tipos de câncer, doenças degenerativas e problemas cardiovasculares”, afirma a nutricionista Mariana Exel, do Hospital Samaritano de São Paulo. Ela também conta que as fibras do feijão ajudam a combater a obesidade e controlar os níveis de colesterol e de glicemia do sangue – problemas que aumentam as chances de doenças crônicas.

Fonte de minerais

Por ser rico em ferro, o feijão é uma das principais armas do combate à anemia ferropriva, que é a diminuição do número de células vermelhas (hemoglobina) do sangue causada pela falta do mineral. “Sem hemoglobinas, o sangue não consegue transportar oxigênio para que as células do corpo produzam energia”, afirma Mariana Exel. O grão também contém boas quantidades de zinco e magnésio. O primeiro é importante para inúmeras reações químicas que ocorrem no organismo e a sua falta pode causar desde problemas de memória e até convulsões. “Já o magnésio é fundamental para a saúde dos ossos, músculos, cérebro e sistema nervoso”, conta a nutricionista do Hospital Samaritano.

Vitaminas do complexo B

Entre as vitaminas presentes no feijão, há destaque para o folato, também chamado de ácido fólico e vitamina B9. “Esse nutriente é muito importante durante a gestação para evitar deformidades no feto”, afirma Mariana Exel. Segundo a nutricionista, a falta dessa vitamina pode causar alterações de humor e até anemia, com sintomas parecidos ao da anemia ferropriva, como cansaço e fraqueza. Uma porção de 100 gramas de feijão contém aproximadamente 130 microgramas de ácido fólico.

Fonte: Minha Vida

Academia popular de Ilha Grande chega a fase de conclusão

Já está em fase de acabamento a academia popular da Ilha Grande de Santa Isabel. Após o levantamento das edificações foram iniciados revestimentos em paredes, assentamento de piso, parte elétrica e pinturas. Além desta estão também em construção outras quatro academias nos bairros São José, São Vicente de Paula, Joaz Sousa e Nova Parnaíba.
Além das estrutura física, o projeto prevê a montagem de aparelhos para atividades de ginástica voltadas para promoção da saúde que serão desenvolvidas pelos profissionais da área em Parnaíba.
Na promoção das atividades das academias estão previstas orientações de segurança alimentar e nutrição, práticas de ginástica, atividades de lazer entre outras atividades de promoção da saúde.

Zé Filho quer pagar aumento dos servidores, mas pede anuência do TCE

 c17ed20040_grande

Em coletiva de imprensa nesta terça-feira (2) no Palácio de Karnak, o governador Antônio José de Moraes Souza Filho, Zé Filho (PMDB), afirmou que pretende pagar o reajuste dos servidores públicos, que cruzaram os braços por descumprimento de acordos já aprovados anteriormente na Assembleia Legislativa. O gestor garantiu ainda que o pagamento do 13º salário e da folha de dezembro está garantido, e que estaria sendo feito “terrorismo” quanto ao assunto.

Perguntado pelo repórter Rayldo Pereira, do Cidade Verde, Zé Filho agradeceu pela oportunidade para esclarecer a situação e garantir sua intenção de pagar o reajuste. Porém, o governador espera uma posição do Tribunal de Contas para que o aumento seja feito sem ferir a legislação.

“Nós sabemos que a lei foi aprovada na Assembleia, esse reajuste é merecido. Eu quero agradecer a todo o funcionalismo público. Esses meses que eu passei no governo foi com eles. (…) Estou sentindo muito por não ter dado esse aumento em novembro, mas quero dizer a vocês que eu quero dar esse aumento agora em dezembro. Nós vamoso cumprir essa lei para todas as categorias, com muito trabalho, muito acocho, puxando o cinto”, declarou.

Zé Filho afirmou que há dinheiro em caixa para dar o reajuste. Porém, o gestor já é alvo de contestações do Tribunal de Contas do Estado (TCE) por gastos acima do permitido com pessoal. “Nós precisamos de uma anuência do Tribunal de Contas. Eu não posso tomar uma atitude dessas sozinho, me responsabilizando, porque depois o governo continua e eu fico sozinho, respondendo no Tribunal de Contas, podendo ficar inelegível. Eu também tenho que pensar nisso”, afirmou.

“Nós estamos com dinheiro em caixa. Queremos implantar (o reajuste) agora na folha de dezembro. Mas quero pedir ao Tribunal de Contas uma maneira de se buscar uma solução, para que ue possa pagar esse aumento e eu não possa ser prejudicado no futuro por ter pago um reajuste e pagar por um problema que eu não criei”, completou.

Pronunciamento
Antes da entrevista, Zé Filho fez um pronunciamento explicando os problemas financeiros do Estado e garantindo o pagamento da folha dos servidores. “Vamos pagar religiosamente em dia o 13º, vamos pagar dezembro. Ninguém precisa fazer terrorismo com o funcionalismo público”.

Por Fábio Lima/Cidade Verde