Governo libera R$ 234 milhões para pesquisas sobre Zika e apoio à ciência

Teste rápido de zika foi desenvolvido pela Fundação Baiana de Pesquisa Científica e Desenvolvimento Tecnológico, Fornecimento e Distribuição de Medicamentos (Bahiafarma
Governo vai investir R$ 234 milhões em pesquisas nas áreas de ciência e tecnologia, incluindo estudos  sobre o  vírus zikaSayonara Moreno/Agência Brasil 

O Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) e a Financiadora de Estudos e Projetos (Finep) vão investir R$ 234 milhões em pesquisas nas áreas de ciência e tecnologia, incluindo estudos  sobre o vírus zika. O ministro Gilberto Kassab assinou hoje (19) na sede da Finep, no Rio de Janeiro, convênios referentes a três editais lançados em 2016. Ele ressaltou que, apesar da grave crise financeira, o financiamento em pesquisas será prioridade em 2017.

“Nenhum país na história da humanidade conseguiu ser bem sucedido na superação [das dificuldades] sem investir em pesquisa, ciência e inovação”, disse ele. “Precisamos de uma mobilização muito importante, pois a partir de agora, com a famosa Lei do Teto dos Gastos, as corporações que não se mobilizarem terão muita dificuldade para conseguir recursos para os seus projetos”, afirmou o ministro.

O presidente da Finep, Marcos Cintra, declarou que, mesmo em tempos de crise, áreas estratégicas, como a de Ciência e Tecnologia, não podem ficar sem investimentos.

“Há cortes de gastos de outros setores onde temos reprodução de capital, paralisa-se o investimento, retoma-se dois ou três anos depois, recoloca-se a situação como se desejaria. Na área da Ciência e Tecnologia, o conhecimento é aditivo, extremamente dinâmico. Qualquer paralisação nas nossas atividades nos colocará, em termos de distanciamento da fronteira de conhecimento, em situações que dificilmente poderão ser recuperadas no curto prazo”, disse ele.

“Nenhum país vai conseguir estar entre os primeiros em termos de desenvolvimento econômico e oferecer condições dignas de vida à sua população se não der uma atenção muito especial à área a qual  todos nós nos dedicamos”, acrescentou.

Para as pesquisas voltadas para o combate ao Zika, as chamadas públicas somam R$ 27,5 milhões. Cinco convênios no valor de R$ 4,6 milhões foram assinados com a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) e seus institutos.

Diagnóstico precoce

Entre os projetos selecionados estão iniciativas de aperfeiçoamento de tecnologias para exame de imagens de diagnóstico precoce de alterações neurológicas, aprimoramento de tecnologias de criação de inseto estéril, de linhagens de mosquitos geneticamente modificados e desenvolvimento de vacinas.

A Finep vai oferecer apoio institucional, incluindo despesas correntes, como material de consumo, softwares, instalação, recuperação e manutenção de equipamentos, além de despesas de capital, operacionais e administrativas e bolsas.

O segundo edital – de R$193 milhões – foi destinado a laboratórios multiusuários dos institutos vinculados ao MCTIC, para aquisição e manutenção de equipamentos e contratação de pessoal qualificado para a operacionalização destes equipamentos. O Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais e o Observatório Nacional são alguns dos institutos que receberão recursos.

A chamada de apoio institucional, somando R$14,3 milhões, destina-se ao desenvolvimento de áreas estratégicas de pesquisa científica e tecnológica. Serão beneficiadas as Instituições Científicas e Tecnológicas (ICTs), a Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e a Universidade do Estado do Amazonas (UEA).

Edição: Kleber Mota Vaz Sampaio

Zika pode continuar crescendo no cérebro de bebês mesmo após nascimento

                                                         Vírus da zika fica mais temeroso a cada dia (Felipe Dana/AP)

Pesquisadores norte-americanos descobriram evidências de que o vírus da zika se replica em cérebros de fetos por até sete meses após a mãe ter sido infectada e mostraram que o vírus pode persistir mesmo após o nascimento, de acordo com um estudo publicado nesta terça-feira (13) .

As descobertas confirmam observações anteriores em estudos de caso que sugeriam que o vírus pode se desenvolver em cérebros de fetos e placentas.

“Nossas descobertas mostram que a zika pode continuar a se replicar nos cérebros de crianças mesmo após o nascimento e que o vírus pode persistir nas placentas por meses – muito mais do que nós esperávamos”, disse Julu Bhatnagar, líder da equipe de patologia molecular do Ramo de Patologia de Doenças Infecciosas do CDC, e principal autora do estudo, em nota.

As descobertas ajudam a explicar como o vírus causa más-formações devastadoras e abortos espontâneos, mesmo que a mulher tenha sofrido apenas um pequeno mal-estar. No mês passado, a Organização Mundial da Saúde declarou que a zika não é mais uma emergência internacional, mas ressaltou a necessidade de um esforço de longo prazo para o combate ao vírus, que foi relacionado a milhares de problemas de nascença e complicações neurológicas.

BRASIL TORNOU O ZIKA VÍRUS UMA PREOCUPAÇÃO MUNDIAL

Para o estudo, pesquisadores do CDC testaram tecidos de 52 pacientes com suspeita de infecção por zika, incluindo tecidos cerebrais de oito bebês que tiveram microcefalia e depois morreram. Eles também testaram tecidos de placenta de 44 mulheres – 22 das quais tiveram bebês aparentemente saudáveis e 22 que sofreram abortos espontâneos, abortaram, tiveram natimortos ou bebês com microcefalia.

A zika foi apontada como causa da microcefalia, uma rara má-formação que faz com que os bebês nasçam com cabeças e cérebros muito pequenos e pode gerar necessidades especiais por toda a vida.

Os pesquisadores descobriram material genético da zika em tecidos cerebrais de fetos e placentas mais de sete meses após as mães terem contraído o vírus. Em um caso, eles também descobriram evidências de que o vírus estava crescendo em uma criança com microcefalia que morreu dois meses após o nascimento.

Mais um retrato de abandono da atual gestão.

15328141_351701128527438_342847764_nDesta vez no Núcleo de Apoio a Saúde da Família (NASF), onde poderia está prestando vários serviços a população. O governo municipal está sendo falho em relação NASF.

O NASF que deve atuar de forma integrada com ESF – Equipes de Saúde da Família por diferente áreas, o que não vem ocorrendo no município de Buriti dos Lopes, que hoje poderiam esta atuando em atividades como, físicas/práticas corporais; práticas integrativas e complementares; reabilitação; alimentação e nutrição; saúde mental; serviço social; saúde da criança/do adolescentes e do jovem; saúde da mulher e assistência, mas infelizmente os serviços não estão sendo prestados.

Mais um desafio que o próximo prefeito Junior Percy (PTB), terá pela frente, onde irá diversificar ações entre a NASF e ESF que já está previsto para primeiro semestre 05 profissionais, sendo 01 médico, 01 nutricionista, 01 psicólogo, 01 assistente social e 01 educar físico para atender a população buritiense.

Jr. Percy afirmou que será incansável em conseguir recursos para que seu município cresça de forma significante em seu governo.

Ministério da Saúde promove dia D contra a dengue em Teresina

O Ministério da Saúde (MS) realiza mobilização nacional no combate e prevenção a proliferação do mosquito Aedes aegypti. A mobilização irá ocorrer simultaneamente em todos os estados do Brasil. No Piauí, o ministro da Saúde, Ricardo Barros, será representado pelo presidente Nacional da Funasa (Fundação Nacional de Saúde), Henrique Pires.images-1

Em Teresina, várias atividades alusivas ao combate do mosquito a dengue, zika e chikungunya serão realizadas na zona norte da capital, mais precisamente na Praça do Poty Velho. A população será convidada a participar de cursos, ouvir palestras, realizar ações contra o mosquito da dengue e outras atividades, das 7 horas até ao meio dia.

Em toda a praça serão dispostos estandes e trabalhos de combate a proliferação do Aedes. Exposição de peças produzidas a partir garrafas e embalagens recicladas. Também estarão expostos móveis feitos a partir da reutilização de pneus e uma tenda com orientações de prevenção de criadouros, demonstração do ciclo biológico do mosquito e espaço criança, com colagens e pinturas acerca do tema.

Segundo o presidente da Funasa a melhor forma de combater estas doenças continua sendo a prevenção. “Estamos no período de maior proliferação do mosquito e os estudos, as pesquisas, todos os dados mostram que a proliferação do mosquito da dengue conta com a negligência, então estes momentos de mobilização são de extrema importância para chamar atenção da população para a importância da prevenção”, explica Henrique Pires.

PIAUÍ – “No primeiro semestre de cada ano, observamos o aumento dos dados de incidência das doenças transmitidas pelo Aedes aegypti. Por isso, estamos, juntamente com a Fundação Municipal de Saúde e as Forças Armadas engajados em mobilizar a população para esse combate”, disse a gerente de Vigilância em Saúde, Miriane Araújo.

Em videoconferência realizada ontem (29), o ministro da Saúde, Ricardo Barros, fez pronunciamento à representantes dos 27 Estados que participavam simultaneamente da reunião e pediu “o máximo empenho de todos no desenvolvimento das ações planejadas”. Na sua fala durante a audiência, a superintendente de Atenção à Saúde, Cristiane Moura Fé, evidenciou o trabalho do Piauí no combate ao mosquito e informou dados da dengue no Estado. “Dos 224 municípios, temos 48 com prestação de informações atualizadas, 176 sem prestar informações e nove municípios em estado de alerta”, disse.

Da Redação
redacao@cidadeverde.com

Parnaíba tem Workshop de prevenção e combate a AIDS

semanaaids

O Grupo GUARÁ, Grupop Unificado de Apoio à Diversidade Sexual de Parnaíba/PI, ONG sem fins lucrativos, em parceria com as Secretarias Estadual do Piauí e Municipal de Saúde de Parnaíba, UFPI/ CMRV, OAB Seção Parnaíba e assessoria da vereadora Fatima Carmino, estarão realizando o I Workshop: “Prevenindo e combatendo Juvenização e a Feminilização do HIV/Aids em tempos de incertezas”,atividades articuladas com o intuito de levar informação relacionada a o combate do HIV/ Aids e promoção do acolhimento e protagonismo das pessoas HIV +, com foco principalmente no público jovem de 15 a 29 anos como também nas mulheres. A ideia é realizar rodas de conversas em 3 escolas estaduais do ensino médio da cidade de Parnaíba, totalizando em média 300 estudantes além de uma caminhada dia 1º/12, que sairá as 16:00 horas do cruzamento das Avenidas Pinheiro Machado com Dr. João Silva Filho em direção a Kolpink, localizada no Bairro Piauí, a atividade será finalizada com aula de aerodance.

Segue a programação:

      O QUE?      QUANDO          ONDE      HORÁRIO DEBATEDORES
Workshop Roda de Conversa: “Prevenindo e combatendo Juvenização e a Feminilização  do HIV/Aids em tempos de incertezas” 28/11 (segunda-feira) CEMTI – Polivalente Lima Rebêlo 7:30 horas 

 

 

 

1- Profa. Dra. Ester Melo (UFPI), 2 -Demétrio Beltrão (CTA/COAS), 3 –Nelson Muniz (SESAPI), 4 – Jander Nogueira, 5 – Wellington Araújo (G. GUARÁ),  Coord. Doté Thiago (RENAFRO e Grupo GUARÁ) Colaboradores: Bethânia Santos, Romário Ráwlyson e Neto Portela.
Workshop Roda de Conversa: “Prevenindo e combatendo Juvenização e a Feminilização do HIV/Aids em tempos de incertezas” 29/11 (Terça-feira) Colégio Estadual Senador Chagas Rodrigues 7:30 horas 

 

 

13:30 horas

1- Profa. Dra. Ester Melo (UFPI), 2 -Demétrio Beltrão (CTA/COAS), 3 –Nelson Muniz (SESAPI), 4 – Jander Nogueira, 5 – Wellington Araújo (G. GUARÁ),  Coord. Doté Thiago (RENAFRO e Grupo GUARÁ) Colaboradores: Karol Yank, e Grazy
Workshop Roda de Conversa: “Prevenindo e combatendo Juvenização e a Feminilização  do HIV/Aids em tempos de incertezas”

 

 

Blits com realização de distribuição de material informativo, Caminhada e Vigília Ecumênica

 

1º/12 (Quinta –feira)

 

 

 

 

 

 

 

1º/12 (Quinta –feira)

 

 

 

Colégio Estadual Lima Rebelo

 

 

 

 

 

 

Cruzamento da Av. Pinheiro Machado/ Av. Dr. João Silva Filho até a Kolping

 

7:30 1- Profa. Dra. Ester Melo (UFPI), 2 –  Nelson Muniz (SESAPI), 4 – Jander Nogueira, 5 – Wellington Araújo (G. GUARÁ),  Coord. Doté Thiago (RENAFRO e Grupo GUARÁ) Colaboradores: Bethânia Santos, Romário Ráwlyson e Neto Portela.

 

 

Grupo GUARÁ,

Equipes dos PSFs,

CTA/ COAS

UFPI/CMRV

OAB Seção Parnaíba

(Comissão da Mulher e da Diversidade Sexual)

 

 

 

 

 

fonte : costa norte

Comer antes de dormir faz mal à saúde?

Homem com insônia.
Para muita gente, especialmente quem passa o dia fora de casa, no trabalho ou estudando, o jantar se transformou na principal refeição do dia.
Especialistas dizem, no entanto, que comer à noite – especialmente quando a refeição é farta e realizada perto da hora de dormir – pode alterar o organismo e os processos digestivos.
Um estudo realizado com 700 adultos e apresentado em congresso recente da Sociedade Europeia de Cardiologia analisou a relação entre as horas nas quais se consome alimentos e os efeitos no organismo.
A pesquisa constatou que ingerir alimentos tarde da noite gera um impacto significativo na pressão arterial.
Família em refeiçãoImage copyrightTHINKSTOCK
Image captionPara muitas pessoas, o jantar se transformou na principal refeição do dia
Durante a noite, o processo fisiológico normal é a queda da pressão arterial.
Porém, o estudo descobriu que 24,2% dos participantes que comeram até duas horas antes de dormir não registraram uma queda adequada da pressão sanguínea.
Entre os que haviam jantado mais cedo, a porcentagem foi de 14,2%.

“Estado de alerta”

Segundo especialistas, consumir alimentos antes de dormir faz com que o organismo permaneça em “estado de alerta”, no qual estimula a produção de hormônios do estresse, como a adrenalina, e pode alterar o ritmo circardiano, o ritmo diário do organismo.
Ebru Ozpelit, professora de Cardiologia da Universidade de Dokuz (Turquia), que apresentou o estudo, disse que os resultados sugerem que o que se come é tão importante quanto o tipo de alimentos que se ingere.
Ozpelit disse que a vida moderna está criando “hábitos de alimentação erráticos”, como o de pular o café da manhã e comer cada vez mais tarde. Tais práticas, afirma, estão se tornando cada vez mais frequentes e podem causar danos ao longo do tempo.
“Devemos definir a frequência ideal e a hora dos alimentos”, afirma Ozpelit.
Café da manhãImage copyrightTHINKSTOCK
Image captionEspecialistas reafirmam que o café da manhã é uma das refeições mais importantes do dia
“O café da manhã é importante, devemos tomar um café da manhã forte e não pular o almoço. Devemos fazer um jantar mais leve e ele não deve ser depois das sete da noite”, afirmou.

Obesidade

Os especialistas afirmam que o corpo humano não está preparado para enfrentar muitos dos aspectos da vida moderna.
Com a chegada da luz artificial e a industrialização, os humanos modernos começaram a experimentar horas prolongadas de iluminação. Isso levou a um consumo estendido de alimentos e ao consumo de alimentos cada vez mais tarde no dia.
JantarImage copyrightTHINKSTOCK
Image captionJantar tarde também pode aumentar o risco de resistência à insulina e dificultar a perda de peso durante regimes.
Sandra Hirsch, especialista em nutrição humana pelo Instituto de Nutrição e Tecnologia de Alimentos da Universidade do Chile, afirma que as refeições noturnas podem ter efeitos adversos no organismo.
“Quando alguém come, uma série de processos metabólicos se desenvolve”, disse a especialista à BBC Mundo.
“São liberados hormônios no processo de absorção de alimentos. Portanto, se eu comer e ir dormir, esses mecanismos hormonais podem ter impactos negativos no organismo.”
Segundo ela, alguns desses impactos podem ser ganho de peso ou mesmo obesidade.
“Comer tarde pode inibir a degradação da gordura no organismo, que é um processo natural durante a noite”, afirma Hirsch.
“E isso pode fazer com que uma pessoa que está tentando emagrecer tenha mais trabalho.”

Refluxo

Outro problema de comer perto da hora de dormir é o refluxo, segundo a especialista.
Esse transtorno faz com que o conteúdo estomacal retroceda do estômago até o esôfago, o que pode irritar o esôfago e causar acidez gástrica, náusea, indigestão e, em alguns casos, provocar câncer de esôfago.
“Se uma pessoa come e vai dormir não consegue esvaziar o estômago, por isso o estômago fica cheio, e se a válvula gastroesofágica está alterada a comida vai subir.”
Segundo estudos mais antigos, pessoas que comem antes de dormir têm maior risco de desenvolver sintomas de refluxo.
Mulher com dor no peitoImage copyrightTHINKSTOCK
Image captionAs refeições noturnas também podem ser responsáveis pelo aumento dos sintomas de refluxo
Em um artigo publicado no jornal americano The New York Times em 2015, Jamie Koufman, médico especializado em transtornos de refluxo, escreveu que esses transtornos se transformaram “em uma epidemia que afeta até 40% dos americanos”.
Ele afirmou que também podem ser causas dessa “tendência inquietante” uma dieta ruim, com maior consumo de açúcar, gordura e alimentos processados.
“Há outra variável importante que vem sendo ignorada: a hora que jantamos.”
O médico afirmou que o ideal é não comer após às 20h ou fazer a refeição noturna três horas antes de dormir.
“Concluindo, não é bom comer muito tarde nem comer e ir dormir”, afirma a especialista em nutrição Sandra Hirsch.

Cadê o dinheiro da saúde? 17 milhões de reais

A secretaria municipal de Saúde de Buriti dos Lopes precisa urgentemente tomar as medidas necessárias em relação ao que está acontecendo, pois é a saúde da população buritiense que está em questão.

Não se pode admitir em uma cidade como Buriti dos Lopes com pouco mais de 19.000 habitantes esteja vivendo uma situação dessas, onde hoje está faltando tudo.

Falta de vontade política, de gestão eficiente, de medicamentos e de insumos básicos, assim como falta de médicos, fazem do Pronto-Socorro um local de horror.

Falta sensibilidade e competência do prefeito Bernildo Val (PSD) para controlar o caos na unidade hospitalar.

Seja rico ou pobre, se o cidadão sofrer um acidente, um trauma, por exemplo, vai ser levado para Parnaíba, pois o pronto socorro não tem suporte para atendimento.

E outro detalhe que deve ser relatado, é os veículos que servem de ambulâncias estão com documentação atrasada e necessitando de revisão.

Uma falta de respeito com a população que estão sendo maltratados nas unidades de saúde.

Acreditamos que o governo federal está fazendo o repasse da verba para os municípios e em Buriti dos Lopes não é diferente.

De acordo com dados publicados no Portal da Transparência, por intermédio do Ministério da Saúde, o Governo Federal repassou aos cofres públicos do município de Buriti dos Lopes – De 2013 até mês de Outubro de 2016 – o valor de R$ 17.403.430,88 (dezessete milhões e quatrocentos e três mil e quatrocentos e trinta e oitenta e oito centavos) para saúde do município. Confira abaixo!

REPASSE REFERENTE AO ANO 2013 – VALOR R$ 4.122.121,09

REPASSE REFERENTE AO ANO 2014 – VALOR R$ 5.009.278,29

REPASSE REFERENTE AO ANO 2015 – VALOR R$ 4.281.051,81

REPASSES REFERENTE AO ANO 2016 – VALOR ATÉ MÊS OUTUBRO 2016 R$ 3.990.979,69

Perguntamos: O Ministério da Saúde através do Fundo Nacional da Saúde fez o repasse de 2013 até o mês de outubro de 2016 o valor de R$ 17.403.430,88 (dezessete milhões e quatrocentos e três mil e quatrocentos e trinta e oitenta e oito centavos), para secretaria de saúde do município de Buriti dos Lopes e hoje está faltando médicos, medicamentos e materiais hospitalares; onde está o dinheiro que foi repassado pelo governo federal durante esses anos?

Cadê o dinheiro da saúde?

Resultado de imagem para cade o dinheiro

Com a palavra, o prefeito e a secretária de saúde do município.

Saiba quais doenças mais afetam a saúde do homem

novembroazul

A partir desta terça-feira (1º), a campanha Novembro Azul passa a ser um movimento permanente e que contempla a saúde integral do homem. A proposta do Instituto Lado a Lado pela Vida, que coordena a ação, é mobilizar a população masculina e seus responsáveis diretos, no caso de crianças e adolescentes, para conhecerem mais sobre sua saúde, em diferentes fases da vida.

Na página da campanha, o instituto disponibilizou uma lista das doenças que mais afetam a saúde masculina, seja na infância, na adolescência, na fase adulta e na terceira idade. Ao clicar em cada uma delas, é possível encontrar informações sobre diagnóstico, fatores de risco, prevenção, sintomas e tratamento.

Na infância, as doenças citadas incluem fimose, infecção urinária e prostatite (inflamação da próstata). Já entre adolescentes, a lista destaca arritmia cardíaca, doenças sexualmente transmissíveis e ejaculação precoce. Na fase adulta, aparecem doenças como cálculo urinário e diversos tipos de câncer. Por fim, na terceira idade, integram a lista diabetes, disfunção erétil e hipertensão arterial.

“Por meio da informação, junte-se a nós na conscientização dos cuidados com a saúde e mudança de hábitos, da importância do diagnóstico precoce e adesão ao tratamento”, propõe o Instituto Lado a Lado pela Vida.

Sobre o Novembro Azul

Criada em 2011, a campanha, originalmente, visa orientar a população masculina sobre o câncer de próstata. A doença figura como o segundo tipo de câncer mais comum entre homens, com mais de 13 mil mortes anuais – uma a cada 40 minutos. Mais de 61 mil novos casos devem ser registrados no país em 2016, segundo o Instituto Nacional do Câncer.

Durante todo o mês de novembro, serão realizadas atividades de orientação sobre o câncer de próstata e a saúde do homem e ações para estimular a atividade física. Haverá distribuição de material informativo e prédios serão iluminados na cor azul – entre eles, o Viaduto do Chá, em São Paulo, e o Congresso Nacional, em Brasília.

Um dos destaques da programação é o II Fórum Ser Homem no Brasil, marcado para a próxima segunda-feira (7). Com apoio do Senado Federal, o evento vai reunir profissionais de saúde, parlamentares, governantes, representantes do Ministério da Saúde e população em geral para debater a prevenção e o combate ao câncer de próstata e outros tipos de câncer, como de pênis e testículo.

Nas redes sociais, a campanha vai tratar da saúde integral do homem e usará as hashtags #novembroazul , #denovembroanovembroazul , #menospreconceito e #maisvida. A programação completa do Novembro Azul pode ser conferida no site do instituto.

Fonte: Agência Brasil

Fundação confirma surto de catapora em Teresina e registra 494 casos este ano

jc_13618_300x0Com 494 casos neste ano, Teresina está em alerta por conta da catapora, principalmente com a infecção em crianças. De acordo com a Fundação Municipal de Saúde, já foram notificados 14 surtos e um óbito, além de uma criança internada na UTI.

A epidemiologista da FMS, Amparo Salmito, explica que esta época do ano é favorável para a transmissão da doença e alerta, principalmente aos pais, que atualizem a caderneta de vacinação dos filhos. “É uma ocorrência que todos os anos temos e alguns têm mais ou menos. É muito transmissível. A pessoa que nunca teve, pega se não for vacinado”, relata.

Apesar de ser muito comum e ter alguns tabus, a doença é grave e, segundo a epidemiologista, as pessoas devem procurar um médico em caso de suspeita da doença. “Antigamente as pessoas achavam que sarampo era benigna. Loucura. Essas doenças têm componentes de gravidade com alteração neurológica e pancreática. Só devem ser prevenidas com vacina”, esclarece Salmito.

De acordo com a Fundação Municipal de Saúde, em Teresina, este ano foram notificados 494 casos e 14 surtos. Um dos casos corresponde a uma menina internada no Instituto de Doenças Tropicais Natan Portela, no qual a “a FMS faz a investigação das pessoas que tiveram contato com os acometidos pela doença para saber se nesse círculo de pessoas há gestantes ou pessoas imunodeprimidas para monitoramento. Com as outras pessoas, caso haja suspeita, é feita a notificação e a pessoa fica em observação, e em qualquer sinal de alerta, é orientado para voltar ao serviço de saúde”, informou em nota.

A catapora, como é vulgarmente chamada a varicela, é uma doença exantemática viral aguda e altamente contagiosa, caracterizada pelo surgimento de bolhas no corpo, podendo ser acompanhadas de febre moderada e outros sintomas. A doença pode ocorrer durante todo o ano, com picos de incidência nos meses de agosto a novembro. No Brasil a varicela não é uma Doença de Notificação Compulsória.

Segundo a epidemiologista, a principal maneira de evitar a doença é com a vacinação, que em caso de surtos é restrita a ambientes hospitalares, visando a prevenção de casos de varicela grave em indivíduos suscetíveis com alto risco de complicações. “Quando começar, o paciente deve procurar o serviço de saúde e não dar remédio ou botar coisas nas bolhas. Temos postos na cidade, o Programa de Saúde de Família que dá assistência e temos muitas formas de acompanhar os casos. E mais, aquelas crianças que foram vacinadas tem que manter a caderneta em dias”, explica Amparo.

FMS

Pacientes esperam por mais de um mês para conseguir uma consulta em Posto de Saúde de Parnaíba

1Pacientes que precisam de uma consulta no Posto de Saúde do Conjunto Raul Barcelar em Parnaíba precisam esperar na fila até por um mês e mesmo assim não conseguem uma vaga. Não bastasse esse descaso com a saúde do cidadão parnaibano, ainda há a informação de que por falta de médico, uma enfermeira estaria consultando no lugar do profissional.

“A recepcionista disse que ela pode consultar porque é formada em Enfermagem, mas ela não é médica. Além disso, o posto que deveria abrir às 7:00, só é aberto depois das 7:30”, denuncia uma paciente.

blog pesoa