Comunidade Terapêutica Monte Moriá precisa de doações para manter tratamento de dependentes

Uma guerra cotidiana contra o vício, discriminação e desesperança! É assim a luta dos homens que fazem parte do projeto desenvolvido na Comunidade Terapêutica Monte Moriá (Unidos por Vidas). As atividades são desenvolvidas em uma chácara localizada no Bairro Portinho, onde os internos encontraram uma nova oportunidade de viver longe do mundo das drogas.

De acordo com o pastor Nailton Almeida, um dos auxiliares da comunidade terapêutica, trata-se de um trabalho voluntário, que vem sendo desenvolvido há um pouco mais de um ano e cinco meses. “Nós tratamos de pessoas com problemas de dependência química, que torna essas pessoas vítimas de outros problemas. A gente acredita que é um meio de amenizar o grande problema que a sociedade vive hoje, que é tornando famílias destruídas por vários fatores”.

Ele informou que no local onde são realizadas as atividades, são acolhidas pessoas de vários bairros de Parnaíba, como também, de cidades vizinhas. “Aqui é proporcionado um tratamento com a durabilidade de 6 a 8 meses, onde eles ficam confinados, buscando uma nova vida. Durante esse período, eles terão uma oportunidade de refletir e reavaliar sobre os rumos pós tratamento”.

Ao todo, são dezoito internos e uma das grandes dificuldades é a manutenção do projeto, principalmente no que diz respeito à alimentação das pessoas que passam pelo tratamento. Não existe nenhuma ajuda de órgão público e as atividades são mantidas por meio do auxílio de grupos que se sensibilizam com a causa. Materiais de construção também podem ser doados para ajudar na construção do alojamento.

Atualmente, os participantes do projeto trabalham na construção do novo alojamento para proporcionar conforto e dignidade aos internos, como também, para que profissionais possam ser recebidos como forma de contribuir com o tratamento.

Dentre as atividades desenvolvidas na comunidade terapêutica, eles tem contato com o evangelho por meio da leitura da Bíblia, terapias ocupacionais (cuidado com hortas, artesanato).


Os interessados em ajudar o projeto, podem dirigir-se à sede, localizada na Avenida Coronel Lucas, Bairro Nova Parnaíba, próximo ao Colégio Estadual.


Por Tacyane Machado

Deixe uma resposta