Conheça o cocalense ”encantador de animais”.

Desde que ficou viúvo, ha quase 4 anos, Chico Telepisa divide o espaço da casa, o sofá da sala, a rede do terraço e a mesa da cozinha onde faz suas refeições com nove animais; Dois cachorros (Pi-Suh e Pega-Leve); duas porcas (Madonna e a Lacraia); Dois bodes (Magaiver e Goku) e três cabras (Bitoka, Xaninha e Capitu), além das galinhas que circulam livremente pelo recinto. Difícil mesmo era conviver com o forte odor que os animais exalavam, por isso agora eles são obrigados a tomar banho diariamente com Shampoo e condicionador GARNIER FRUCTIS Neutro. Só o magaiver que toma banho com o shampoo Clear Anti-caspa. Após essa medida os bichinhos estão super cheirosos, relata Chico Telepisa.
Chico Telepisa acordando Magaiver para tomar o café da manhã.
Isso mostra uma história feliz de convivência entre animais tão exóticos com pessoas e bichos de estimação, isso é um alento à sociedade. Os animais costumam ficar solto nas proximidades da casa de Chico e são muito afetuosos com o dono, que quando o dono demora a chegar em casa, eles se unem e vão aos bares e na casa de amigos em busca do seu amo. Sem falar que um dos bodes, o Magaiver, se destaca dos demais animais, pois é o único cumprimenta as visitas e que sabe a contar dinheiro e passar troco, tocar flauta e gaita, entre outros truques. Ultimamente Telepisa esta ensinando o animal a dirigir. 
Chico Telepisa agora é conhecido como o encantador de animais, e mantém uma relação especial. Ele afirma que sua afinidade com a bicharada começou a pouco mais de 3 anos. A sua fascinação, logo se transformou em algo mais ousado, transgredindo as regras de segurança para se aproximar da vida de animais selvagens.
Chico Telepisa passando seus conhecimentos a sua Neta.
Ele relata que em uma viagem pra Africa passeou livremente na selva com leões e hienas, além de banhar em rio repleto de crocodilos. Seu método de aproximação com os animais selvagens não é nada convencional, como explica: “Eu não uso nada para agredir o bicho, como varas e correntes, uso somente a confiança e sou destemido do perigo e aviso que não vou desistir da minha ligação com eles por causa do risco de vida que sofro”, finaliza Chico.
Essa galinha foi batizada de Tiazinha e passa a maior parte do dia nesse sofá.

Deixe uma resposta