CRM cancela registro de médicos estrangeiros no Piauí por desconhecimeto de medicação básica

O Conselho Regional de Medicina (CRM) cancelou o registro provisório de todos os médicos estrangeiros que chegaram ao Piauí na primeira etapa do “Mais Médicos” – programa do Governo Federal, que tem causado polêmica entre os profissional.

Registro da chegada dos médicos em setembro
O motivo, segundo informou a assessoria do CRM é que os médicos não têm o Revalida, teste exigido para atuar no Brasil. Além disso, segundo o órgão, o governo federal não deu garantias de que os estrangeiros serão acompanhados regularmente por tutores, como foi anunciado pela presidente Dilma Rousseff (PT), para justificar a não necessidade do Revalida.
O presidente do Conselho, Emanoel Fontes, declarou que há denúncias de irregularidades na atuação dos estrangeiros por todo o Brasil, relacionadas principalmente à prescrição de medicamentos e ao desconhecimentos de remédios populares, considerados básicos no país. 
Emanoel acrescentou que o CRM não liberará o registro dos médicos que chegaram no último sábado (26), pela segunda etapa do programa. “O registro deverá ser expedido diretamente pelo Ministério da Saúde. Agora a pergunta é: em caso de erro médico, qual será o posicionamento do governo federal? Vai deportar o autor do erro?”, questionou.
O presidente acrescentou que o CRM não irá se responsabilizar pelos erros cometidos por médicos que não possuem o registro, mas garantiu que continuará fiscalizando as ações.
Trabalho escravo
Outra reclamação do CRM é com relação às condições de trabalho dos profissionais estrangeiros, que não têm garantias trabalhistas, recebem cerca de 10% do que será pago ao governo cubano e são proibidos de mudarem de cidade, além de atuarem em regiões desprovidas de estrutura. A situação é considerada “trabalho escravo”.

Deixe uma resposta