Dois mil pescadores trocaram L.Correia por Camocim, por causa da obra do porto

Por consequência da obra do Porto de Luiz Correia, no passado chamado de Amarração, devido a quantidade de barcos pesqueiros que se amontoavam naquela praia, os pescadores e foram mais de dois mil, mudaram suas ações pesqueiras para o município de Camocim, ou mais precisamente para o Vale do Timonha.
Com o projeto do porto de Luiz Correia, até mesmo o projeto do IPECEA, desandou e hoje não mais funciona. Dali, eram exportados camarões, lagostas e caranguejos, todos com destino ao Ceará e de lá para o mercado exterior, pelo porto do Mucuripe.
Trago à baila este tema devido algumas informações que entendo que a nossa desinformada e despreparada classe política precisa saber, ou melhor, conhecer.
O Porto de Luiz Correia, tem sido um nó górdio para todos os piauienses, especialmente àqueles de boa cepa, afinal, há mais de um século que espera-se a conclusão desse sonho, até aqui não realizado, devido a incompetência de nossos políticos a cada governo que se sucedeu nesse estado. Um tema muito discutido nesses anos seguidos e debatido exaustivamente, naturalmente devido o descaso ou omissão de quem tem mais responsabilidade sobre esse tema, os governadores e as bancadas federais que se sucederam nesse estado.
Hoje, o Piauí vive o drama da decepção, com as notícias de que os recursos destinados à construção do nosso sonhado porto de mar, não vêm sendo aplicados dentro das normas ortodoxas que norteiam a administração pública. Comprovadamente o dinheiro é desviado de forma ladra e irresponsável, segundo informações terríveis que correm nos bastidores.
Mas, diante desse quadro de desesperança que cerca a difícil construção do porto de Luiz Correia, estamos trazendo duas informações que consideramos importantes, para o futuro do nosso comércio marítimo entre o Piauí e o resto do mundo, tão logo venhamos a concluir esse tão difícil sonho.
No primeiro ponto, opinar ou sugerir aos homens do poder, governador, senadores, deputados federais, que devolvam o porto de Luiz Correia aos pescadores e o transforme-o num polo pesqueiro de qualidade acoplado a uma marina, para atender à futura rede hoteleira que deverá se fixar na orla marítima de Luiz Correia. Isso por um motivo sério, técnico, e, de difícil solução. Não conseguiremos um calado superior a 10 metros mesmo avançando o porto por 4 ou 5 quilômetros mar adentro, em Luiz Correia. Diante dessa dificuldade o melhor será partir para esse novo projeto.
Para o segundo ponto, a informação mais importante: por que insistir com o projeto, quando o que está feito está inservível e destruí-lo vai ser mais difícil do que concluir envelopando toda obra como pretende o nobre secretário Avelino Neiva? O bom senso está exigindo dos governantes e responsáveis pela construção do nosso Complexo Industrial Portuário de Luiz Correia, que mudemos o projeto e também, o seu destino. Para não destruir o que está feito, transformá-lo num porto pesqueiro e uma marina para receber barcos de turismo e navios de pequeno e médio porte.
O Porto marítimo do Piauí deve ser deslocado para o município de Cajueiro da Praia, na extrema com Camocim, no conhecido e discutido Vale do Timonha, onde o pequeno rio do mesmo nome, já contribui com um calado natural de 11 metros, facilitando a ancoragem de navios de grande porte, com o aprofundamento do molhe do novo projeto.
Esperamos que o governador Wilson Martins e o seu secretário de obras Avelino Neiva, meditem, reflitam, em cima dessa proposta, pois devolveremos aos pescadores do Piauí, o seu porto pesqueiro, uma riqueza que foi transferida para o estado do Ceará, devido a inconsequência de construção do porto em área não definida tecnicamente como a ideal.
O novo porto a ser construído, ao invés de envelopar por cima as ferramentas expostas e o triste canteiro de concreto mal acabado, que seria o nosso porto, partir para que o novo projeto, seja construído, nesse novo ponto certo, correto e estratégico, para uma definição desse sonho que precisa ser concretizado, mas, agora, no Vale do Timonha, entre Cajueiro da Praia e Camocim. 
jogo aberto

6 respostas para “Dois mil pescadores trocaram L.Correia por Camocim, por causa da obra do porto”

  1. É público que a nossa Luís Correia terá um amplo e moderno porto
    pesqueiro.Tal trará desenvolvimento e empregos,não polui,trazendo tudo
    que este país está precisando.

  2. O porto pesqueiro deverá ser construído e aproveitando-se toda a construção do antigo porto que,com certeza,segundo os técnicos nunca deveria ter começado,pois é inviável por ter pouca profundidade,passível de
    assoreamento,altamente poluidor etc.O porto pesqueiro é uma forma inteli-
    gente de crescer aquela região do querido Piauí.Agora é a vez da nossa
    classe política e da classe empresarial do nosso Estado mostrar a sua for-
    ça em benefício do seu povo.

  3. Parabéns pelo blog,realmente a opinião acerca da necessidade do nosso
    porto pesqueiro é muito correta,pois é uma forma de aproveitarmos inteli-
    gentemente onde se construiria o inservível porto pelos motivos já mencio-
    nados.Por outro lado,o porto pesqueiro seria um grande incentivo para
    a indústria de beneficiamento dos derivados da pesca,dando-se empregos
    e grandes oportunidades de negócios em favor da nossa região.Não polui
    e traz riquezas.A marina,por sua vez,embelezará mais o nosso litoral,tra-
    zendo consigo muitos empregos,muitos turistas de todas as partes e es-
    timulará a economia como um todo.É uma forma inteligente de fazer.O nos-
    so querido Piauí merece!

  4. A ideia de se aproveitar a obra do inviável e inservível porto,por sua vez,
    aproveitando-se para um proveitoso porto pesqueiro e uma bela marina é muito inteligente e trará grandes vantagens econômicas para o nosso que- rido Estado do Piauí.Os nossos políticos e empresários de forma uníssona,
    é certo,deverão lutar para o êxito dessa ideia.Lutemos pelo nosso Piauí!

  5. Concordo plenamente com a ideia de um porto pesqueiro e de uma marina
    no nosso belíssimo litoral.Devemos aproveitar o potencial turístico e da in-
    dústria da pesca em favor do querido povo e do Estado do Piauí.Não se
    deve perder tempo,precisamos crescer com a ajuda da iniciativa privada
    e,se possível,da iniciativa pública com o pagamento dos nossos impostos.
    A economia brasileira agradece!

  6. O amado Piauí tem que pensar grande e aumentar a sua capacidade turística
    e econômica em favor do seu povo.Não podemos perder tempo,lutaremos
    para melhorar as condições de vida nesta região tão carente de negócios
    e trabalho.As classes política e empresarial têm que lutar para o nosso
    engrandecimento.O poder público ,no momento,não tem dinheiro para proce-
    der a grandes empreendimentos e,por conseguinte,a iniciativa privada é
    dada a oportunidade de empreender e investir no turismo e em outras ativi-
    dades econômicas.Tem que ser incentivado,não se pode deixar a economia
    parar e provocar o temido desemprego.O povo piauiense merece!

Deixe uma resposta