Ex-prefeito acusado de causar a morte da biomédica volta hoje a trabalhar na Polícia sob pena de demissão

Ronaldo Castelo Branco
Ronaldo Castelo Branco

Acusado de ser o responsável pela morte da biomédica Joysa Ribeiro Barros, de 30 anos, em acidente ocorrido na madrugada do dia 25 de maio, no cruzamento da avenida Jokey Clube com a rua Angélica, na zona leste de Teresina, o ex-prefeito de Nossa Senhora dos Remédios, Ronaldo Castelo Branco Lages, deve voltar hoje ao trabalho na Polícia , depois de uma longa licença, sob pena de ser objeto de processo de demissão por abandono de emprego, segundo informou fonte do gabinete do Secretário de Segurança Pública.
Ronaldo Lages é acusado de, ao volante de sua Amarok branca e dirigindo em alta velocidade, segundo testemunhas, ter saido da rua Angélica e invadido a preferencial e colhido violentamente o Ágile em que a biomédica viajava juntamente com seu namorado Richar Moraes, também de 30 anos, pela avenida Jokey Clube.A moça morreu na hora e o rapaz fraturou uma costela e ficou atordoado, sentado numa calçada depois de sair do carro através do pára-brisa, até que foi levado para o hospital por um motorista de táxi.
Ronaldo Lages, que tem um histórico de envolvimento em confusões, na madrugada em que aconteceu o acidente, acabara de sair de uma churrascaria onde diz não ter consumido bebida alcoólica mas esse depoimento contrasta com vários outros de pessoas que testemunharam o acidente e até de outras que se encontravam no mesmo local de onde ele saira.
Dois dias depois do acidente, falando por telefone e antes de se apresentar ao delegado Sebastião Alencar, de repressão aos crimes de trânsito, o acusado deu uma entrevista quando afirmou, para indignação da família da biomédica, que desenvolvia velocidade de 50 quilômetros, numa declaração que contrasta fortemente com as imagens de câmeras obtidas pela Polícia
fonte blog do feitosa costa

Deixe uma resposta