Jogo Aberto

Vejam as traições de W. Dias contra JVC



Em 2010 o governador Wellington Dias tinha um acordo de ficar no governo para apoiar a candidatura de João Vicente ao governo do Estado. Esse compromisso foi feito com o aval do empresário João Claudino pai de JVC. Jurou que não sairia do governo, pois tinha conversado com Deus e Deus o tinha aconselhado a ficar no governo até o final do mandato.

Wellington foi a Brasília e voltou candidato a senador

Ora, Wellington reuniu a imprensa na residência oficial do governador e fez a declaração da conversa com Deus, depois outra conversa em Brasília naturalmente que, com pessoa mais importante e mais convincente e melhor conselheiro do que Deus, voltou atrás, e surpreendendo a tudo e a todos, confirmou a sua renúncia e a sua candidatura a senador. Há quem diga que a conversa foi com um diabo de barba.

O PT trai o PTB de novo na eleição de Teresina no ano passado 

Derrotado e sem ter votação que o levasse para o segundo turno, Wellington nunca imaginou que o segundo turno seria entre Firmino e Elmano. Wellington teria a chance de se redimir de todos os seus pecados com os Claudino, JVC e João Claudino pai. De novo Wellington mostrou as suas garras e cruzou os braços, e não declarou apoio para Elmano do PTB. Foi outra punhalada.

Agora vão marchar juntos? 


Sim vão. Estão fechando acordo e um compromisso sério, aliás, sério do lado de JVC, pois sempre mostrou ser um político sério e cumpridor de seus compromissos, diferente de Wellington que, entre uma conversa com Deus e outra com o diabo, nunca se sabe do que ele é capaz.

JVC vai arriscar mais uma vez 

Mesmo assim JVC vai apostar de novo. E se o índio votar por trás em Wilson Martins senador, trocando voto para governador? Menino, o cesteiro que faz um cesto, faz um milheiro.

Por Tomaz Teixeira

Deixe uma resposta