Jovem é morto em rito macabro com santa enfiada na boca; 2 são presos

O autônomo José Nilton de Aquino, 18 anos, foi encontrado morto na manhã desta sexta-feira(12) em sua residência no bairro Vermelha. No quarto onde estava apresentava um cenário macabro. A vítima espancada e morta com um tiro no rosto, tinha uma santa enfiada na boca, uma bíblia, uma coroa de flores ao seu lado e açúcar ao redor do seu corpo.  
Durante a tarde, dois suspeitos foram presos. Um deles foi identificado como “Fuscão”, 31 anos, e o outro é um jovem que alegou ter 15 anos de idade – dado ainda a ser confirmado. De acordo com o capitão Sousa Marques, do 1º Batalhão da Polícia Militar, os dois alegam inocência, mas foram apontados por testemunhas. 
Fotos: Carlos Lustosa Filho/CidadeVerde.com
A polícia ainda procura os suspeitos identificados como Josafá e “Cérebro”. Uma mulher também está sendo investigada por possível participação no crime. 
O crime
Havia manchas de sangue na parede e no chão. Até o animal de estimação, um gato Fissura com quem ele dormia, foi morto. 
A irmã de José Nilton, J.C.A.S., de 14 anos, afirma que seu irmão era usuário de drogas há dois anos e pode ter sido alvo de uma rixa por motivo banal. 
“Ele morava sozinho aqui, mas durante as tardes geralmente vinham amigos dele para cá. Ontem ele se desentendeu com o Cérebro e o Neguim, que são lavadores de carro, por causa de uma chinela, acho que pode ter sido eles”, suspeita a adolescente.
Marilene, tia de Xixá
Ela garante que o irmão era pacato e chegou a lhe dizer que os dois estavam lhe acusando por algo que ele não fez. E se ele tive feito confessaria a ela. 
A tia da vítima, Marilene de Aquino, afirma que há três suspeitos do crime, entre eles, um familiar. 
Os familiares acrescentam que a bíblia e a santa eram do José Nilton que tinha a imagem como proteção dele. A irmã da vítima há pessoas que pretendem vingar a morte de seu irmão. “Nós da família queremos justiça e já me disseram que vão matar quem fez isso com ele”, declarou. 
Polícia Militar
De acordo com a Polícia Militar, José Nilton era conhecido como Xixá, morador de rua e fazia parte da gangue Esporão de Arraia. O major Jorge Lima, da assessoria de comunicação, disse que ele foi morto com pelo menos um tiro de arma artesanal e foi encontrado com o corpo coberto de sangue. 
“As informações que colhemos é que ele pode ter sido morto por membros da própria gangue, por desentendimento”, destacou o militar. 
A suspeita é que Xixá já teria passagem por tráfico. 
Flash de Carlos Lustosa
Redação Caroline Oliveira

Deixe uma resposta