Marllos acusa Eduardo Campos de tráfico de influência e é processado

Por Luciano Coelho

O deputado federal Marllos Sampaio (PMDB) criticou o governador de Pernambuco Eduardo Campos (PSB), dizendo que Eduardo pedia votos entre os congressistas para que sua mãe (Ana Arraes) fosse eleita para o Tribunal de Contas da União. “Eduardo Campos articulou todo o Congresso Nacional para colocar a mãe dele no TCU. Ele me pediu voto. E disse para eu ir ao Ministério da Integração Nacional. A mãe dele foi eleita. Dei voto ao Atila Lins. Ele perdeu, mas pelo menos não entrei no canto da sereia”, relatou Marllos. Por conta disso, os advogados de Eduardo Campos estão interpelando judicialmente o deputado, para que prove a acusação de que Eduardo Campos usou o ministério da Integração Nacional para eleger sua mãe no TCU.

O deputado federal Marllos Sampaio (PMDB) à esquerda e o governador de Pernambuco Eduardo Campos (PSB) à direita

Marllos Sampaio em entrevista ao Jornal do Piauí, da TV Cidade Verde, afiliada do SBT, afirmou que foi assediado, pessoalmente, por Eduardo Campos para que votasse em Ana Arraes para integrar o TCU no ano de 2011. “Eduardo Campos não é novo na política. Quem não lembra? Foi ele quem articulou todo o Congresso Nacional para colocar sua mãe no TCU. Ele me pediu voto e me disse: “Deputado vote na minha mãe e vai lá no meu Ministério, que o ministro vai lhe atender”, contou o deputado, se referindo ao ministério da Integração Nacional.

Ele disse que chegou a questionar o governador: “atender em quê? e ele me disse: “Não, vai lá no Ministério da Integração. Eu não fui lá (no Ministério) e não quis nem saber, mas muitos deputados foram. Eu não entrei no canto da sereia’”, afirmou Marllos Sampaio.
Marllos ainda criticou a iniciativa dos parlamentares piauienses em lhe concederem título de cidadão. O deputado questionou o que Eduardo Campos teria feito pelo Estado para merecer a honraria.

O deputado disse que Eduardo, assim como Marina Silva, não representa novidade na política. “A gente tem que estar atento porque joga a história de que ele representa o novo e o novo não existe. Não é porque sou aliado do PSB em nível estadual que não vou questionar o que acontece em nível nacional. Eu não sei se o governador sai. Eu não estou participando do quadro sucessório. Estamos deixando o vice-governador Zé Filho bem à vontade. Acho que devemos trabalhar agora porque ninguém sabe o que vai acontecer. Estou visitando minhas comunidades e trabalhando porque não sei o que vai acontecer”.

Agora Eduardo Campos quer que Marllos Sampaio prove a acusação que ele usou Ministério da Integração Nacional para eleger mãe no TCU.

“Garantimos que Eduardo Campos jamais conversou com este deputado e o governador acionou a assessoria para interpelá-lo judicialmente para que comprove que foi abordado por ele. Se não comprovar, o deputado irá responder por crimes de calúnia e difamação”, disse o membro da executiva nacional do PSB, Milton Coelho, dizendo que o governador nunca esteve com o deputado Marllos Sampaio e que ele terá que provar a acusação.

“Tivemos que pedir informações sobre o caso aos amigos do Piauí para saber do que se trata, já que este deputado é ‘absolutamente desconhecido’ e ‘inexpressivo’”. Completou Milton Coelho.

Deixe uma resposta