Pele cria bolhas que estouram com o menor contato.

Uma menina de cinco anos de idade nunca pôde abraçar os pais devido a uma condição rara que faz com que feridas de seu corpo estourem ao menor contato. Alisa Doanvan corre risco de uma infecção potencialmente mortal por causa da doença, mas mesmo assim frequenta a escola, apesar de não poder brincar no parque infantil.
A criança sofre de epidermólise bolhosa que afeta menos de uma em um milhão crianças. A mãe sofre com o problema da filha, que apesar das dores por conta de sua condição tenta levar uma vida normal.
A menina é obrigada a comer alimentos leves, mais moles, já que as bolhas se formam até dentro da boca. Dessa forma ela não consegue consumir o necessário para ter uma vida razoavelmente saudável, e isso é feito a noite através de um aparelho colocado na barriga dela. Todas as noites a mãe faz um curativo no local, que demora aproximadamente uma hora e meia para ser finalizado, além de se doloroso para a criança.
A menina foi diagnosticada com o problema apenas alguns dias depois de nascer. A condição pode ser fatal na infância, mas Alisa conseguiu superar as dificuldades. 
A criança utiliza uma cadeira de rodas para se locomover até a escola com segurança. A família  espera encontrar tratamentos eficazes para lhe dar com o problema da menina.
Fonte: Daily Mail

Deixe uma resposta