Peritos do DF entram no Caso Fernanda Lages

Fernanda Lages
Quem pensa que o Caso Fernanda Lages chegou ao fim se enganou. Três peritos já estão em Teresina trabalhando no perfil psicológico da estudante, morta dia 25 de agosto de 2011. Maria da Conceição Krause, psiquiatra forense, Marcelo Nunes e Luis Henrique Sérgio, ambos peritos da Polícia Civil do Distrito Federal, vieram a pedido da Polícia Civil, atendendo a solicitação do Ministério Público do Piauí.
A recomendação do Ministério Público é para saber se Fernanda Lages, cuja morte gerou uma série de especulações, com envolvimento de pessoas supostamente importantes, teria tendência ao suicídio.
Na conclusão dos inquéritos feitos pela Polícia Civil (através da extinta CICO) e pela Polícia Federal, Fernanda teria tido ‘morte violenta’, por acidente ou por suicídio.
Os peritos vão ouvir cerca de 30 pessoas, e já teriam relacionado várias pessoas das relações de Fernanda Lages para traçar o perfil da estudante. Estão arrolados Paulo, Josélia e Cassandra Lages, pais e tia, além de professores e amigas da estudante.
No ultimo mês de julho, quando anunciaram que poderiam deixar a investigação do Caso Fernanda Lages, os promotores Eliardo Cabral e Ubiraci Rocha pediram ainda duas diligências à Polícia Civil.
A primeira diz respeito ao relatório da Polícia Federal que afirma com 100% de certeza que Fernanda Lages esteve na obra do Ministério Público Federal junto com Nayrinha e ainda uma terceira pessoa, uma hora antes de sua morte. Com essa certeza os promotores exigem que a Polícia identifique essa terceira pessoa ‘que pode ajudar a identificar o autor do crime’, disse Ubiraci.
Os promotores solicitaram ainda uma autópsia psicológica de Fernanda Lages, a pedido da família da jovem, para saber se ela tem o perfil psicológico que justifique o suicídio.
Com informações do AZ

Deixe uma resposta