PI: Agentes penitenciários paralisam atividades por 48h e ameaçam greve

A categoria afirma que pode suspender o movimento grevista se o Governo do Estado apresentar uma proposta oficial que atenda às reivindicações. Se apresentada, a proposta será decidida na próxima assembleia geral, que acontecerá dia 5, em frente à Casa de Custódia, antes do início da paralisação.
De acordo com o presidente do Sinpoljuspi, Vilobaldo Carvalho, os agentes estão sobrecarregados de trabalho por conta da superlotação nos presídios e trabalham em condições insalubres. Para solucionar o problema, a categoria reivindica a convocação de 50 agentes aprovados no concurso realizado em 2009, além melhorias nas condições de trabalho, conclusão das obras de reforma e construção de novos presídios.
A questão salarial também está em pauta. O sindicato destacou que enviou ofício no início de janeiro propondo uma negociação para o pagamento de reajuste salarial de forma parcelada, como vem acontecendo com outras categorias. Porém, até o momento, o governo ainda não sinalizou com a possibilidade de acordo. “Não tivemos outro jeito, a não ser paralisar as atividades”, disse Vilobaldo.

O que para
O presidente do sindicato explicou que com a paralisação serão suspensas as visitas íntimas e de advogados e familiares em todas as penitenciárias. Além disso, não serão realizadas as conduções de presos para audiências, nem o recebimento de detentos vindo das delegacias.
“Também não faremos atendimentos médicos que não forem de emergência. Vale ressaltar que todos os agentes comparecerão ao trabalho. Apenas as atividades serão diminuídas”, disse o sindicalista.

Jordana Cury
jordanacury@cidadeverde.com

Deixe uma resposta