Pinheiro teme que equipe possa sentir ausências de Fabinho e Zé Rodrigues

Jorge Pinheiro - Técnico do Parnahyba (Foto: Renneé Fontenele/PFC)Jorge Pinheiro – Técnico do Parnahyba

Na segunda rodada, Jorge Pinheiro teve que encontrar um substituto para o volante Alessandro, expulso na estreia do Tubarão no estadual. Uma semana depois, o filme novamente se repetiu no litoral. O atacante Fabinho foi expulso na vitória do time, por 2 a 0, contra o Piauí. Agora, o treinador tem que encontrar uma solução para a vaga deixada pelo atacante. Porém, um agravante: Zé Rodrigues, herdeiro natural da posição, sofreu uma lesão no joelho e não tem previsão de retorno aos treinos. Apesar dos problemas, o treinador prefere não acreditar que a ausência da dupla possa prejudicar a sequência do time no Campeonato Piauiense, mas admite que o grupo possa sentir a falta dos jogadores.

O receio de Pinheiro é ser forçado a mudar o jeito do Parnahyba nas duas rodadas do estadual, com dois atacantes. Para não mudar o esquema, Puchinha pode jogar ao lado de Da Silva. Caso não dê certo, a opção é recorrer aos atletas da base. Sem solução, o jeito será jogar com dois meias adiantados. Nos bastidores, contudo, a diretoria azulina corre contra o tempo e tenta agilizar a contratação “de urgência” de um novo atacante. As medidas tem uma justificativa: o treinador não quer perder o poder ofensivo do Parnahyba.

– Não digo prejudicados, mas vamos sentir a falta deles (Zé Rodrigues e Fabinho). Os dois já vinham trabalhando conosco e fazem parte da nossa formação. Na segunda rodada já senti a falta de Alessandro e coloquei Ramon na posição. Agora é Fabinho, mais um problema. Temos que decidir, pois o Totonho também não treinou ainda e sentiu. Caso ele não tenha condição, temos que fazer outra modificação – explicou Jorge Pinheiro.

Caso Totonho não se recupere, a tendência é Ramon assumir a vaga. O jogador ocupou a posição de Alessandro contra o Piauí. Embora tenha muito o que resolver ao longo da semana, Jorge Pinheiro tem motivos para comemorar. Para o treinador, o desempenho do elenco na vitória contra o Piauí deu provas da inteligência do time.

– Fiquei satisfeito, muito feliz. A equipe jogou com uma qualidade incrível sendo que o adversário era muito difícil. Nosso grupo teve respeito e a responsabilidade de atuar em casa. Souberam ter competência, inteligência e paciência para furar a postura defensiva do Piauí e neutralizá-los – elogiou o treinador.

O Parnahyba joga contra o Caiçara no próximo sábado. A partida acontece em Floriano, no estádio Tibério Nunes, às 18 horas.

g1

Deixe uma resposta