População participa de Audiência Pública sobre sistema de transportes no Município

O sistema de transportes públicos que funciona em Parnaíba não tem acompanhado o crescimento da cidade, razão pela qual as reclamações persistem, inclusive pela falta de transportes em alguns bairros que ainda não possuem a cobertura devida , o que ocasiona a circulação de vans e micro ônibus superlotados em horários de pico, alguns até andando com as portas abertas, colocando em risco a vida de passageiros.
Algumas destas constatações foram citadas hoje, durante audiência pública realizada na Câmara Municipal, a pedido do vereador Carlson Pessoa, com a presença de vários vereadores e representantes do setor, lideranças comunitárias e estudantes, que permaneceram durante todo o tempo audiência, iniciada às 9h30 e encerrada por volta das 13:00hs.
O superintendente Municipal de Transporte e Trânsito, Heleno Maia, disse que desde que assumiu a pasta, em janeiro, já lhe chegaram 126 solicitações no sentido de corrigir falhas do setor, o que tem sido feito, a partir da ampliação das rotas de fiscalização, inclusive com motocicletas, “além de colocarmos carros extras em algumas ocasiões, para atendermos a demanda”.

O presidente da Cooperativa de Transportes Alternativos de Parnaíba (Coopertranp), José Rodrigues falou dos investimentos que a cooperativa tem feito, com cursos de aperfeiçoamento para motoristas e cobradores, além da busca de linhas de financiamentos para renovar e ampliar a frota. “O que depende da Coopertranp para fazemos melhorais, não estamos medindo esforços”, disse José Rodrigues.

Com relação à licitação para que os serviços de transporte coletivo possam ser feitos por empresas de ônibus, o procurador do Município, Gésio Véras, após fazer breve histórico sobre o que a prefeitura vem fazendo para melhora o sistema, disse que há uma liminar no Tribunal de Justiça que impede que seja feita licitação e que“enquanto ela (a liminar) não for suspensa vamos estar com as mãos atadas”.
Fazendo uso da palavra o vereador Gerivaldo Benício disse o município é o culpado do sistema de transportes atual estar sucateado, porque não se obedece as leis que existem, regulamentando uma série de detalhes. “As empresas de ônibus não vão investir aqui com as ruas sem asfalto e a cidade sem abrigos para passageiros. Para melhorar isso temos que começar pela recuperação asfáltica”, disse. Ele lamentou também a omissão do Conselho Municipal de Transportes, do qual já fez parte, e que não se reúne há tempos. Ele sugeriu ainda a implantação da bilhetagem eletrônica no município.
De acordo com Carlson Pessoa, que provocou a audiência, agora a Câmara vai elaborar um relatório, a ser enviado ao Tribunal de Justiça do Piauí, solicitando celeridade no julgamento dessa liminar, que impede que seja feita a licitação para empresas de ônibus. “Também vamos estar vigilantes com relação ao cumprimento da promessa do presidente da Coopertranp, José Rodrigues, que garantiu a aquisição de novos ônibus novos colocar em circulação”. Paralelo a isso, garante o vereador que vai também buscar informações junto aos bancos, com relação a linhas de financiamento existentes para ajudar na orientação dos permissionários que desejem adquirir novos equipamentos.

Deixe uma resposta