Protesto fecha entrada de Palmeirais (PI)

Moradores do município de Palmeirais, 108 quilômetros distante de Teresina (PI), fecharam a PI-130 em protesto contra problemas de energia elétrica e o preço da tarifa do transporte interestadual para a capital. Populares queimaram pneus e bloquearam a entrada e saída da cidade.
“Nós não vamos sair”, diz a professora Marlúcia Monteiro, revoltada com a falta de energia nos últimos três dias. Segundo ela, o fornecimento foi restabelecido, mas de forma precária. A situação afetou também o abastecimento de água, pois as bombas que transportam o produto não funcionaram sem energia.
Fotos: Sebastiana Silva/Reprodução Facebook
Outro problema reclamado pelos manifestantes é o preço da passagem de ônibus para Teresina, hoje em R$ 18. Moradores que trabalham na capital se queixam que a tarifa é alta e propõem reajuste para R$ 12.
Marlúcia Monteiro contou ao Cidadeverde.com que o movimento foi convocado em comunicados nas emissoras de rádio e deve reunir mais moradores até o final do dia. A intenção é não sair da pista até a abertura das negociações.
De acordo com a Polícia Militar, o movimento iniciado por volta de 14h ocorre com tranquilidade e sem incidentes mais graves.
Fábio Lima
fabiolima@cidadeverde.com

Moradores do município de Palmeirais, 108 quilômetros distante de Teresina (PI), fecharam a PI-130 em protesto contra problemas de energia elétrica e o preço da tarifa do transporte interestadual para a capital. Populares queimaram pneus e bloquearam a entrada e saída da cidade.
Vídeo postado no Facebook pelo internauta “Loro Sinistro”
“Nós não vamos sair”, diz a professora Marlúcia Monteiro, revoltada com a falta de energia nos últimos três dias. Segundo ela, o fornecimento foi restabelecido, mas de forma precária. A situação afetou também o abastecimento de água, pois as bombas que transportam o produto não funcionaram sem energia.
Fotos: Sebastiana Silva/Reprodução Facebook
Outro problema reclamado pelos manifestantes é o preço da passagem de ônibus para Teresina, hoje em R$ 18. Moradores que trabalham na capital se queixam que a tarifa é alta e propõem reajuste para R$ 12.
Marlúcia Monteiro contou ao Cidadeverde.com que o movimento foi convocado em comunicados nas emissoras de rádio e deve reunir mais moradores até o final do dia. A intenção é não sair da pista até a abertura das negociações.
De acordo com a Polícia Militar, o movimento iniciado por volta de 14h ocorre com tranquilidade e sem incidentes mais graves.
Fábio Lima
fabiolima@cidadeverde.com

Deixe uma resposta