Petistas do piauí se comovem e mandam dinheiro para os presos do mensalão pagar rombo

 

Cúpula petista se reúne para arrecadar dinheiro para mensaleiro cobrir rombo nos cofres públicos
Líderes do PT no Piauí estão se organizando e fazendo doações para os petistas julgados e condenados pelo Supremo Tribunal Federal (STF) de participarem do esquema do Mensalão. A presidente estadual da sigla, Regina Sousa, a deputada Rejane Dias e o senador Wellington Dias confirmaram que fizeram suas doações.

O dinheiro doado será usado para pagar as multas fixadas pelo STF após as condenações no ano passado. O Supremo entendeu que houve danos ao erário público, por isso o pedido de ressarcimento. A multa de José Dirceu foi a mais cara entre os petistas, o Supremo determinou que ele terá que pagar R$ 971 mil, já José Genoino foi condenado a multa de R$ 765 mil e Delúbio Soares a R$ 575 mil.

José Genoino conseguiu arrecadar R$ 761.962,60, já Delúbio alcançou R$ 1.013.657,26 somente em nove dias. Os números de José Dirceu foram divulgados na tarde de sexta-feira. Em dois dias, ele arrecadou 225 mil em doações.

Para Rejane Dias, o ato de doar para os “companheiros” – forma de tratamento comum entre os petistas -, a doação para os colegas de partido é uma forma de solidariedade. “Não é só na hora boa que temos que estar ao lado deles, mas na tristeza também.

Temos que ajudar a eles e às suas famílias”, declarou a parlamentar. Ela acrescentou ainda que o PT e o país têm muito o que agradecer, pois os petistas condenados ajudaram a redemocratizar o país.

A deputada informou que já realizou doações e que nos próximos dias vai doar para a “campanha de arrecadação” de José Dirceu. A parlamentar informou ainda que seu marido, o senador Wellington Dias, também já fez doação.

O suplente de deputado João de Deus informou que admira a atitude dos colegas, porém, ressalta que não fez nenhuma doação.

“Na verdade, por causa da correria do dia-a-dia acabei esquecendo, mas iria sim fazer doação. Pois através destas doações também mostramos que a justiça não trata todos iguais e que há dois pesos e duas medidas”, analisa João de Deus.
jornal da cidade pi

Deixe uma resposta