Relatos de abusos viralizam e viram assunto mais falado no Twitter

Na tarde desta quarta-feira (03), relatos de mulheres teresinenses através da hashtag #Serasadosboysthe ficaram entre os cincos assuntos mais falados na rede social Twitter no Brasil. Através dos tuítes, mulheres contam histórias de abusos psicológicos, físicos e sexuais envolvendo homens de Teresina.

Entre as histórias, há relatos de mulheres que apanharam dos ex-parceiros, ou sofreram violência psicológica e emocional, e até de homens que utilizaram a influência, seja como professor ou como amigo, para ter relações sexuais com meninas menores de 14 anos, o que pela lei pode ser considerado como estupro de vulnerável.

A hashtag acompanha uma tendência que tem crescido nos últimos anos. Através das redes sociais, mulheres têm se organizado para expor experiências de violência de gênero e machismo, incluindo violência psicológica, sexual, física e emocional. Assim como a hashtag #meuamigosecreto, criada por um coletivo feminista brasileiro e que acabou virando livro.

Para a professora e pesquisadora de feminismo na web, Clarissa Carvalho, as campanhas são importantes para encorajar outras vítimas a denunciarem e reconhecerem casos de violência. “Existe um poder muito grande, porque a internet facilita, por ser uma comunicação horizontal e estar potencialmente disponível para todo mundo. Então, se uma pessoa expõe um caso seu, isso encoraja outras mulheres a exporem suas questões, a não se sentirem sozinhas”, destaca.

Além disso, a professora explica ainda que é importante diferenciar relacionamentos abusivos de comportamentos considerados inadequados numa relação, mas que não se configuram como abuso. “O relacionamento abusivo se caracteriza pelo padrão repetitivo de violências, e violência é diferente de dizer ‘não quero mais você’. Existem homens babacas [sic], mas ser abusador é algo bem maior. É importante a gente deixar isso claro porque você acaba desmerecendo sofrimentos seríssimos que mulheres passam em relacionamentos abusivos”, afirma.

Primeiro passo

De acordo com a pesquisadora, o primeiro passo para sair de um relacionamento abusivo é a vítima se reconhecer como vítima. Para isso, as campanhas nas redes sociais são importantes porque podem ajudar no reconhecimento das situações de violências às quais a mulher está suscetível. “A violência física é mais fácil de ser reconhecida até pelas pessoas em volta. Mas outros tipos de abusos psicológicos passam mais despercebidos, às vezes até pela própria vítima, de que o que ela tá sofrendo é uma violência. A vítima se reconhecer como vítima é o primeiro passo para a formalização legal da denúncia”, explica, Clarissa Carvalho.

Outros relatos

Além dos relatos de abusos, os tuítes publicados através da #serasadosboysthe também têm o intuito de alertar mulheres sobre homens que têm ou já tiveram comportamentos nocivos nos relacionamentos, seja através de históricos de traição ou de mentiras e manipulações.

Veja mais relatos:

Por: Nathalia Amaral

Deixe uma resposta