Se permanecer o atual quadro político, PT fará somente dois deputados estaduais

Semana passada a jornalista Germana Chaves entrevistou o deputado Fábio Novo (PT) sobre a entrega dos cargos que o partido tem no Governo do Estado. O parlamentar não gostou de tratar do assunto. Ficou irritado e ‘soltou os cachorros’ na jornalista. Foi descortês e violento.

A ira de Fábio Novo deveria ser direcionada ao senador Wellington Dias, que exibe uma ambição fora do comum. Wellington lançou sua candidatura ao Governo do Estado, quando poderia ter indicado o vice em uma composição com o PMDB, mas não quis, preferiu correr o risco. Assim como fez quando se lançou candidato a prefeito de Teresina, e ficou amargando um terceiro lugar.

Imagem: Divulgação/GP1Deputado Fábio Novo(Imagem:Divulgação/GP1)Deputado Fábio Novo

O senador petista levantou o PT no Estado. Disso não há dúvidas, mas a ambição política pode reduzir o PT a um partido nanico no Estado. Na eleição passada, figurões do partido ficaram de fora do parlamento estadual. Cito três deles, Flora, João de Deus (estão no cargo porque os titulares estão ‘acampados indigestamente’ no Governo) e Cícero Magalhães, beneficiado com a eleição de Paulo Martins em Campo Maior.

Não tenho dúvidas, se permanecer o atual quadro político, o PT fará somente dois deputados estaduais, Henrique Rebelo (que não é petista, mas está no partido) e Rejane Dias, esposa do senador Wellington Dias.

Imagem: Bárbara Rodrigues/GP1Wellington Dias(Imagem:Bárbara Rodrigues/GP1)Wellington Dias

No entanto, Wellington não está nem um pouco preocupado, pois mesmo perdendo a disputa pelo Governo, vai permanecer numa situação confortável já que possui mais quatro anos de mandato como senador.

Deputado Fábio Novo tenha decência e entregue os cargos ao governador Wilson Martins e direcione sua metralhadora giratória ao senador Wellington Dias, seu candidato ao Governo do Estado.

Deixe uma resposta