Viúva receberá apenas R$ 108 mil pela morte do marido gerente do BB e menos de R$ 5 mil de pensão

Ademyston Rodrigues Alves
Ademyston Rodrigues Alves

Cerca de 108 mil reais pela morte em serviço do marido e uma pensão que deve ficar em menos de 5 mil reais mensais, é o que a viúva do gerente da agência do Banco do Brasil de Miguel Alves Ademyston Rodrigues Alves, morto durante perseguição a assaltantes que o levaram como refém, vai receber do Banco do Brasil, segundo informação de um alto funcionário do estabelecimento. Dona Sandra ficou com a responsabilidade de criar três filhos, o mais velho com sete anos e o mais novo com quatro meses.

Ademyston ganhava cerca de 9 mil e 500 reais líquidos mas o Banco do Brasil não proporciona à família de um funcionário morto em serviço uma pensão integral, retirando todas as vantagens a que teria direito em vida. Até o tiket alimentação desaparecerá da pensão da viúva, fato que deixa revoltados colegas do gerente assassinado.

Dois filhos de Ademyston estudam em Teresina em colégio de alto padrão e o mais novo requer cuidados que exigem despesas consideráveis porque tem apenas quatro meses de vida.

Deixe uma resposta